Populares Mês

O que é que o Arouca tem a ver com uma lavandaria algures no Bairro Alto?


A questão não é nova, já há várias semanas falei nela, mas volto à carga. O Arouca jogou em Aveiro frente ao Benfica, vai jogar no seu estádio com o F.C.Porto. Não vou discutir o comportamento do Arouca nem comentar as declarações do seu presidente, mas como é possível os clubes aprovarem um regulamento que permite a qualquer um deles, mesmo tendo o seu estádio em condições, apresentar um alternativo e dizer: jogamos contra este e aquele, ali, contra os outros, acolá? Isto tem de acabar! Que eu tenha conhecimento não se vê em mais lado nenhum e também nesses campeonatos há clubes que têm grandes dificuldades. Por exemplo, o Eibar joga em casa com o Barça e o Real e o seu estádio só leva 5.200 espectadores.

Pela primeira vez desde o 25 de Abril de1974, o F.C.Porto vai jogar no dia das eleições. É, a 4 de Outubro, o F.C.Porto recebe o Belenenses, pelas 18:15.

Numa lavandaria algures no Bairro Alto, um freteiro com um grande calo no cu como o macaco, anda numa azáfama. A lavandaria só costuma ter este frenesim nos inícios de cada ano...
- Nuno, o camião do Omo e do Skip, já veio?
- Já, senhor director, os detergentes já cá cantam.
- Gonçalo, as máquinas de lavar estão afinadas, prontinhas para deixar tudo limpinho, limpinho?
- Afinadíssimas, vai sair daqui tudo branquinho, branquinho como a neve, senhor director.
- É pá, vamos lá ter calma com isso e evitar, branquinho ou branquinha como a neve...
- Mas, senhor director, esse tema, você sabe do que eu estou a falar, é tabu aqui na lavandaria?
- Claro que sim, somos uma lavandaria ou não?
- Já percebi, somos, somos e sempre seremos, aqui na lavandaria não se fala de roupa suja! Mas dê lá uma pista, um exemplo do que vai sair das máquinas.
- Cá vai: senhor presidente, foi difícil resistir às propostas de 10 milhões por Luisão, 25 por Gaitán, entre 16 e 20 por Cristante? E afinal, de quanto era essa proposta, dizem que excelente, pelo André Almeida?
- Bravo, senhor director, o senhor é um génio! Outro, outro exemplo, senhor director...
- Não, não insistam, têm de esperar para ver...
- Vá lá, senhor director, a história do boicote ao Not Sporting Lisbon, pelo Holiday Inn Porto Gaia, vai ser contada?
- ...
- Mas o que isto, senhor director para a frente, senhor director para trás, o director sou eu, caraças...
- Ahahahahahahahah... o director é ele...ahahahahahahah!

Para ler o artigo do Pedro Marques Lopes, clicar sobre a imagem

Jogador emprestado não significa jogador descartado...


Secretário, Folha, Jorge e Fernando Couto, Jorge Costa, Rui Barros, Ricardo Carvalho, Sérgio Conceição, são exemplos de jogadores que estiveram emprestados, regressaram, uns fizeram uma grande carreira de Dragão ao peito, ganharam muitos títulos, outros juntaram a isso transferências que renderam muitas dezenas de milhões de escudos e euros ao F.C.Porto. Nos últimos anos não me lembro de nenhum emprestado que tenha regressado e depois, afirmado, mas também não tenho memória de nenhum que saindo do F.C.Porto tenha feito algo de relevante em outros clubes. Neste defeso saíram do Dragão por empréstimo, Andrés Fernández para o Granada; Bolat, Clube Brugge; Fabiano e Abdoulaye, Fenerbahçe; Diego Reyes, Real Sociedade; Kayembe, Rio Ave; Gonçalo Paciência e Leandro Silva, Académica; Ivo Rodrigues, Arouca; Octavio e Licá, Vitória S.C.; Josué continuou no Bursaspor; Quintero, Rennes; Ricardo Pereira, Nice; Ricardo Nunes, Vitória F.C.; Ghilas, Levante; Tiago Rodrigues, Marítimo; Sami, Akhisar; Adrián Lopez, Villarreal; Roniel, Paços de Ferreira; e Hernâni, Olimpiakos. Se alguns destes, porque já não é a primeira vez que são emprestados, dificilmente regressarão, já outros, em particular os mais jovens, espero que não desistam do F.C.Porto, não percam a esperança de voltar à Invicta e afirmarem-se de Dragão ao peito. Olhem para os exemplos citados, procurem trabalhar muito e bem, afirmarem-se nos seus clubes, o F.C.Porto estará atento e aqueles que mostrem serviço certamente terão uma oportunidade. Pensem que nos seus novos clubes, ao contrário do F.C.Porto, terão tempo para ter tempo, não terão a exigência quase irracional e extrapolada por dois anos de insucesso e que não perdoa nada, a pressioná-los e a impedi-los de um crescimento natural e saudável.

Soltas:
O nosso amigo Dr.Charuto, ex-Dr.Cutty Sark - agora deixou de fazer referência ao whiskyzinho após as refeições, só fala no Charuto...-, elogiou Bruno de Carvalho e classificou de metáfora caricatural a declaração do presidente do Sporting sobre os árbitros, "Prendam os ladrões" e disse: "Só atrasados mentais é que podem pensar que Bruno de Carvalho defendia que o árbitro checo devia ter saído algemado do campo..." Já eu penso que só um atrasado mental é que acha que alguém achou que Bruno, com a tal metáfora caricatural, queria que o árbitro saísse do campo algemado.

Mas esta história do "Prendam os ladrões" faz-me colocar a seguinte questão:
O F.C.Porto foi castigado pelo Conselho de Disciplina da FPF por no Dragões Diário ter feito uma brincadeira sobre a nomeação de João Capela para o Gil Vicente - Benfica. Porque espera o Conselho de Disciplina para castigar o presidente do Sporting?

Alguém acredita que o Benfica recusou 10 milhões de euros por Luisão, como diz o lixo desportivo da Cofina? Alguém acredita que o Benfica recusou 16 a 20 milhões por Cristante, depois de ter vendido, por exemplo, um jogador importante como Lima, por 7 milhões?

E já agora, Carrillo está comprometido com o F.C.Porto ou vai renovar com o Sporting até 2020?

Treinar o F.C.Porto? Vida muito difícil, é preciso muito estofo e nervos de aço



Neste tasco nunca se branqueiam más exibições, más opções, más decisões, sejam elas dos dirigentes, treinadores, jogadores. Em relação ao treinador, porque nunca treinei sequer uma equipa de bairro, se às vezes me permito dar ares de treinador de bancada, é porque acompanho o F.C.Porto há muitos anos, já assisti ao trabalho de grandes técnicos que passaram pelas Antas e pelo Dragão, de muito perto. Assisti e vi como treinavam Pedroto, Artur Jorge, Ivic, Robson, Mourinho, por exemplo, só para citar aqueles que mais me marcaram pela positiva, como também vi trabalhar Quinito, o paradigma pela negativa. É por isso que mando os meus bitaites, que valem o que valem. O F.C.Porto jogou pouco, muito pouco nos dois últimos jogos, disse-o nos posts dos jogos. Depois analisei aquilo que acho esteve mal, quais foram os erros cometidos, apontei soluções que, como é óbvio, também valem o que valem. Também já tinha dito que temos um excelente plantel, equilibrado, com várias soluções, portanto, temos de jogar mais e melhor. E também que nunca um treinador teve tanto poder como Julen Lopetegui, nunca a Administração da SAD e Direcção Desportiva, foi tão longe para satisfazer um treinador como tem acontecido nestas duas épocas do treinador basco à frente da equipa do F.C.Porto.

Portanto, todas as críticas que tenham substância, respeitem a Instituição F.C.Porto e quem profissionalmente a serve, não se limitem aos chavões, Lopetegui foi um erro de casting, é mau, com ele não vamos a lado nenhum, devia sair; ou  trocadilhos de mau gosto, insultos foleiros, bem como teorias da conspiração, muitas vezes alimentadas por uma comunicação social, salvo raras excepções, rasteira, suja e vendida, como são exemplos, Lopetegui castigou Cissokho ou explicou-se a Cissokho(*); Lopetegui teve um grande bate boca com Fabiano, que lhe pediu explicações, etc; bem como as especulações baseadas no diz-se, ouve-se, consta, um amigo do meu amigo disse...; são bem-vindas, até poderei fazer delas posts e colocá-las à discussão. Como já fiz no passado.

Tudo porque para mim é claro e de há muito tempo - como já disse e repeti, sou do tempo que ao primeiro empate começava a contestação, à primeira derrota ela aumenta e à segunda, treinador para a rua e sei o quanto isso custou ao F.C.Porto...-, não é aos adeptos que compete tomar decisões sobre as competências do treinador, se é capaz, tem capacidade para levar o barco a bom porto. É aos dirigentes. Se fossem os adeptos não havia treinador que resistisse. Vítor Pereira que foi bicampeão, tinha saído à 5ª jornada da sua primeira época, quando o F.C.Porto empatou em Aveiro frente ao Feirense. José Mourinho, sim, o treinador mais ganhador, no sentido de títulos marcantes, da História do F.C.Porto, passou um mau bocado quando após substituir Octávio, perdeu 3-0 em Belém, 2-3 nas Antas com o Beira-Mar. Conheço alguns que já diziam que não passava de um adjunto, não tinha estaleca para o F.C.Porto. Todos orgulhosos, lá vieram eles, estás a ver como temos razão, quando na 1ª jornada da fantástica época de 2002/2003, empatamos em casa com o Belenenses. Depois... sem comentários. Nesta altura, repito, não estamos a jogar bem, temos de jogar muito melhor, mas vamos em primeiro, não há razões para todo este frenesim, este pessimismo, estes constantes tiros ao alvo, um alvo que para o bem e para o mal, é o treinador do F.C.Porto. Jesualdo teve grandes problemas, Villas-Boas até à Supertaça estava a ser arrasado, Vítor Pereira passou muito mal, Paulo Fonseca também, Lopetegui apesar de mostrar estaleca, já começa a ser afectado por esta pressão constante. Como se não bastassem os nossos inimigos e temos muitos, levar constantemente com os amigos... é dose! Fica a sensação que há gente que prefere os insucessos em nome da razão da sua teoria sobre o treinador que as vitórias do F.C.Porto. Adiante.

Sei por experiência própria que nesta realidade virtual há muito mais gente disponível para criticar que para elogiar. OK, não é natural, mas são os novos tempos. No entanto, enquanto houver Dragão até à morte, não me desviarei um milímetro dos princípios que nortearam a criação do blog. Pelo F.C.Porto, tudo, contra o F.C.Porto, nada. Faz qualquer coisa pelo F.C.Porto, não fiques à espera do que o F.C.Porto pode fazer por ti. O F.C.Porto não se apregoa, pratica-se. Criticar, sim, mas com respeito, objectividade e espírito construtivo. E como também não procuro agradar a gregos e a troianos, nem unanimidades; não tolero sabichões que nunca se enganam e raramente têm dúvidas; ou aqueles que em nome das suas antipatias usam de má-fé e tudo serve para criticar, até a cor da gravata; o caminho é e vai continuar a ser este. Quem gostar e quiser aparecer, dentro deste espírito, é bem-vindo, quem não quiser, paciência. A vida continua, independentemente dos ruídos oriundos das más-línguas.


Concluindo, como não suporto gente cínica nem hipócrita, gente incapaz de dizer certas coisas aqui e depois vai dizê-las noutros lados, faço um apelo a todos os que não gostam do Vila Pouca e do Dragão até à morte: procurem outros espaços, poupem-me ao vosso cinismo e hipocrisia.

(*) Ó porquinho de brega, estás enganado, Lopetegui apenas estava a avisar o Cissokho que a tua priminha é boa como milho, mas é uma vendida e traiçoeira.

E a transferência mais cara do futebol mundial, é... Nico Gaitán!

30+30+30+30+30...=... é só fazer as contas...
- Bravo, Melga!
- Fantástico, Mike!
 Ainda bem que o ridículo não mata nem paga imposto...

Plantel até ao final do ano:
Guarda-redes, Iker Casillas, Helton e Gudiño;
Defesas, Maxi, Layún, Lichnovsky, Maicon, Marcano, Indi, José Ángel e Cissokho;
Médios, Rúben Neves, Danilo, Herrera, André André, Bueno, Evandro, Sérgio Oliveira e Imbula;
Avançados, Varela, Corona, Aboubakar, Dani Osvaldo, Tello e Brahimi.
Não é o melhor plantel da Europa, mas é um plantel com qualidade, equilibrado e com polivalência. Um grupo que permite ao treinador várias soluções e variações tácticas. Pena que esta paragem não possa ser aproveitada para integrar os novos e trabalhar com todos, melhorar e afinar. Que sirva ao menos para dar condição aqueles que a têm mais atrasada, por exemplo, Imbula, Cissokho, Dani Osvaldo.
Como em todas as organizações ou estruturas, para usar palavra mais em voga, que são geridas por seres humanos a perfeição não existe, o F.C.Porto fez um bom trabalho, se compararmos com os nossos rivais... então nem se fala!

Meus amigos, mesmo jogando pouco, o F.C.Porto lidera o campeonato e isso é importante. Agora que está tudo definido e as cabeças limpas, se aos jogadores se pede profissionalismo, espírito forte, raça, alma, paixão, nos brindem com bons espectáculos e vitórias, aos adeptos, aqueles que de facto colocam o F.C.Porto acima de tudo e de todos, também a partir de agora pensem que são estes que temos, é com estes - jogadores e técnicos - que temos de atingir os objectivos.

Queimadas big ou big queimadas?
«Afinal a transferência do Corona ficou ligeiramente mais cara que o acordo alcançado com os agentes na sexta-feira»
Sexta-feira eram 10 milhões por 50% do passe, agora são 10,5 por 70% e a transferência ficou ligeiramente mais cara? Ai a minha matemática!

Para ler Miguel Sousa Tavares, António Simões e Paulo Teixeira Pinto, clicar sobre as imagens.

Layún, uma surpresa e Corona, uma confirmação, são reforços do F.C.Porto


Miguel Layún, uma surpresa, nunca tinha sido conjecturado e Jesús Corona - gosto de jogadores atrevidos - uma confirmação, são reforços do F.C.Porto. São ambos internacionais mexicanos, o primeiro é lateral-esquerdo, mas também pode jogar à direita e até a médio, vem por empréstimo dos ingleses do Watford, acredito que com opção de compra - sobre Layún. O segundo, é um ala que tanto joga de um lado como do outro, vem dos holandeses do Twente, assinou por 5 anos e custou 10,5 milhões por 70% do passe - como sabe quem me acompanha aqui no tasco, nunca é à entrada que se tiram conclusões sobre se o jogador é caro ou barato... De Layún não conheço praticamente nada, de Corona já falei há dias atrás - mas mais umas coisas aqui.
Sejam bem-vindos! Que tenham sorte, mostrem valor e ajudem o F.C.Porto a ter sucesso.
 
Ricardo Pereira no Nice - bem, precisa de jogar, no F.C.Porto ia ter pouco espaço; Rolando no Marselha - não há soluções ideais, mas acabou a novela; Adrián López no Villarreal - que volte a ser o jogador que brilhou no Atletico de Madrid...; Quintero no Rennes - que em França possa ganhar o espírito correcto para que não seja mais um que prometia muito...; Hernâni no Olympiakos - o mesmo que disse sobre Ricardo Pereira. Djalma, também é um problema resolvido, rescindiu, vai para o Genclerbirligi da Turquia. Portanto, casa arrumada, dentro dos condicionalismos que envolvem todas estas situações, parece-me bem arrumada. Agora, já se sabe que as decisões nunca agradam a todos, por exemplo, para mim, com a vinda de Layún, José Angel fica sem espaço e devia sair. Mas como não sei as razões e não quero especular, são estes que estão, é com estes que vamos à luta, pelo menos até Dezembro. É estes que eu apoiarei, nos momentos negativos, se os houver, ninguém me ouvirá dizer, pois, devia ter vindo o fulano, o beltrano é que era bom, etc.

Nota final:
Toda a gente ficou muito incomodada com os os jogadores que vieram por empréstimo para o F.C.Porto. Esta época, vários e grandes clubes, têm jogadores emprestados.

Porque prometeu tanto e cumpriu tão pouco a máquina portista?


Procurar respostas para a pergunta que dá título ao post é o que tentarei fazer de seguida.
Se numa equipa de futebol o coração da máquina é o meio-campo, foi porque o coração começou a engasgar que as promessas ficaram por cumprir; se os alas são uma espécie de pulmões que oxigenam a máquina, não fazem bem o seu trabalho, temos problemas; se cada vez que é necessário alimentar a máquina, se perde tempo, se escolhe os caminhos errados, se entrega mal o serviço... a máquina não funciona ou funciona mal. Ontem não sofreu danos irreparáveis, mas convém não abusar...

Com Brahimi a 10, na posição reclamada por muitos, as coisas até começaram a funcinar bem. Tendo Danilo e Imbula nas costas, o argelino esteve intenso, dinâmico, teve um excelente início de jogo. Pegava atrás, soltava-se, arrancava, desequilibrava, aparecia nos espaços, assistia. Mesmo com os dois médios mais recuados, pouco inspirados, Varela desastrado e Tello intermitente, o F.C.Porto prometia, brilhava, fez um belo golo, não pela finalização que até foi fácil para Aboubakar, mas pelo envolvimento, Maxi, Brahimi e assistência deste para o camaronês facturar. O 1-0 chegou cedo, aos 6 minutos, mas o melhor período dos Dragões durou cerca de 15 minutos, até aí as coisas funcionavam bem, não havia reclamações, com mais contundência e melhor definição no último terço, até podia ter acontecido outro golo. Não aconteceu e a equipa começou a perder brilho. Brahimi foi perdendo, intensidade, começou a ficar em vez de baixar para pegar, Danilo e Imbula jogavam mal com e sem bola. Com a redondinha estavam lentos, demoravam a soltá-la, perdiam-na; sem a chicha ficavam juntos, muito próximo dos centrais, havia um grande espaço no meio-campo, o Estoril percebeu, aproveitou, começou a equilibrar e a ameaçar. Ao arrebitar, o conjunto de Fabiano também se expôs, deu espaço, mas nunca foi aproveitado pelo F.C.Porto. O conjunto de Lopetegui já estava intranquilo, em perda de confiança, com bola tinha dificuldade em geri-la, quando soltava nas alas, Varela, mais e Tello, nunca tiveram capacidade para explodir, aproveitar. Apenas se ia salvando a segurança de Iker Casillas, a entrega de Maxi, algum brilho de Brahimi e a generosidade de Aboubakar.

O treinador percebeu que era preciso mexer, mexeu, tirou Varela, meteu André André, encostou Brahimi à esquerda, Tello passou para a direita. Faltavam 5 minutos para o descanso, não deu para se notar nada, a expectativa era como regressaria o F.C.Porto das cabines - é verdade, a primeira-parte estava a acabar, o Drogba da Caparica podia ter saído ao intervalo. Mas não é por aí que o gato vai às filhoses.
Regressou mal, a jogar ainda pior do que tinha jogado na meia-hora final da primeira-parte. Foram 10 minutos muito maus, o Estoril por cima e a criar perigo, o público a assobiar, a equipa cada vez mais intranquila, a bola queimava. Lopetegui viu, alterou, entrou Herrera e como o mexicano mesmo que não tenha feito nada de extraordinário, já conhece os movimentos e a maneira como a equipa funciona, o F.C.Porto melhorou. Não foi muito, mas foi o suficiente para voltar a ter bola, ficar mais organizado e equilibrado. Com isso o Estoril nunca mais foi perigoso, quando Maicon fez o segundo o jogo ficou decidido, daí até ao fim ainda entrou mais um golo que devia ter valido, mas isso é outra história...

Se Julen Lopetegui acredita que a solução é Danilo mais Imbula, com Brahimi à frente, deve trabalhá-la e não abandoná-la só porque ontem só durou 15 minutos. Nessa solução, Danilo tem de crescer na pressão que significa jogar no F.C.Porto, melhorar a qualidade de passe, olhar mais para a frente que para trás, pensar e executar mais rápido, como se pede a um jogador de equipa grande. Imbula tem de subir uns metros, de arrancar, arriscar, não pode limitar-se a tocar e a ficar. De certeza que não foi para isso que foi contratado. Para jogar assim já temos muitos. Brahimi, a jogar no apoio ao ponta-de-lança, tem de ser mais constante, não pode fazer apenas 15 minutos bem e depois baixar a intensidade, a concentração, ficar à espera que aconteça, a bola vá ter com ele e não fazer acontecer. Não jogou mal, note-se, foi dos melhores e o mais decisivo, mas na posição que iniciou o jogo durou pouco.

E bom que Lopetegui esteja tão descontente com as prestações da equipa como nós e a partir dessa constatação, analise bem os porquês das duas últimas más exibições, com calma e, principalmente, serenidade, faça um diagnóstico correcto e encontre as terapias certas para que a equipa melhore. Depois da pausa vamos entrar num ciclo difícil, Arouca, Dínamo de Kiev, Benfica e é fundamental um Porto diferente. Um Porto mais constante, mais tranquilo, mais confiante, mais próximo daquilo que está claramente ao seu alcance.

Nota final:
Este barco vai até ao fim, acredita no sucesso, não faz apelos a chicotadas, sejam elas quais forem - treinador, jogadores, dirigentes. Quem quiser sair do barco que aproveite esta pausa competitiva. Quem quiser ficar, pode obviamente criticar, apontar erros e defeitos, mas com respeito, de forma construtiva e objectiva.
Foi para isso que o tasco nasceu, é assim que vai ser até acabar.

F.C.Porto 2 - G.D Estoril Praia 0. Jogamos pouco, mas se não fosse o sr. Gomes...


Que fique claro: o F.C.Porto jogou pouco, tem de jogar muito mais, mas hoje, mesmo jogando pouco, só não ganhou por quatro porque Duarte Gomes é fraco, muito mau árbitro, sabe Deus como chegou a internacional. Também que fique claro: mesmo jogando pouco e tendo de jogar muito mais, a vitória do F.C.Porto até pode ser por números injustos, a diferença mínima talvez se justificasse, mas é limpinha, cristalina, não teve nada a ensombrá-la. Adiante.

O F.C.Porto em 4x2x3x1, Casillas, Maxi, Maicon, Marcano e Martins Indi, Danilo e Imbula, Varela, Brahimi e Tello, Aboubakar, teve uma entrada forte, boa dinâmica, algumas jogadas com princípio meio e fim, um golo, ameaças de outros, prometeram muito os primeiros 15 minutos do F.C.Porto. Parecia que estava encontrada a fórmula, Brahimi no meio e atrás do ponta-de-lança, até se movimentava bem, criava desequilíbrios, assistiu para o golo de Aboubakar. Mas depois desse período em que a equipa funcionou, lá se foram as promessas. O ritmo abrandou, a dinâmica foi-se, a organização e a inspiração também, os equilíbrios desapareceram, os espaços a meio-campo começaram a ser muitos, principalmente entre os dois médios mais recuados e o internacional argelino, o Estoril cresceu, chegou-se à frente, nunca esteve perto do golo, mas delineava boas jogadas, estava melhor que o F.C.Porto. Vendo que tinha de tapar o buraco, Lopetegui sacrificou um Varela desastrado, meteu André André, Tello passou para direita, Brahimi para a esquerda, foi um regresso ao 4X3X3. Faltavam 5 minutos para o intervalo, não se notaram melhorias e as equipas foram para a cabines com os Dragões em vantagem, mas se os da Linha - juro que não é provocação...- tivessem empatado ninguém podia dizer que era injusto.

Se os 30 minutos finais da primeira-parte foram maus, os primeiros 10 da segunda, foram horríveis. Nunca tivemos bola, raramente conseguimos sair, erramos constantemente passes, o Estoril era superior, merecia ter chegado ao empate. Não chegou porque o F.C.Porto tem um guarda-redes que dá pontos. Vendo que as coisas não podiam continuar assim, o treinador portista voltou a mexer, tirou um Imbula em baixo, meteu Herrera. Com o mexicano, mesmo sem grande brilhantismo, tendo até uma ou outra displicência, a equipa compôs-se, ficou mais unida e mais organizada, os canarinhos deixaram de ameaçar, os azuis e brancos voltaram a ficar melhor. Quando Maicon, na cobrança exemplar de um livre, fez o segundo golo, já o F.C.Porto estava melhor, era superior. Daí até ao fim, sem se exibir a grande altura, raramente encontrando as melhores soluções no último terço do campo, os Dragões podiam e deviam ter feito mais dois golos. Não justificavam tal vantagem, mas se Duarte Gomes e os seus auxiliares, não estivessem numa noite desastrada, um penalty devia ter sido assinalado e um golo limpo validado.

Concluindo: valeram os três pontos, mas é preciso jogar melhor para que a confiança e a tranquilidade regressem. Aproveitemos estes últimos dias de marcado para arrumar a casa e a paragem para os compromissos das selecções, para dar condição física a alguns jogadores que bem precisam, afinar a máquina para que as núvens se afastem do Dragão e os portistas deixem de andar preocupados e pessimistas.

Maxi,que está levar no F.C.Porto os cartões que lhe pouparam no Benfica, voltou a ser grande e já conquistou a esmagadora maioria dos portistas. Brahimi seguiu-lhe as pisadas, foi dos poucos que tentou levar a água ao moinho. Muito bem André André a soltar-se e a aparecer junto à área e  a Casillas que no período difícil disse presente. Aboubakar generoso, Osvaldo tentou e chegou a mostrar serviço, Tello continua capaz do melhor e do pior. Maicon melhor que Marcano, o espanhol errou muitos passes, Indi cumpriu, pode ser uma boa alternativa à esquerda para certos jogos. Não gostei de Danilo, tem de ser mais rápido a pensar e a executar, sair sem medo, passar melhor. Herrera ajudou a equipa  melhorar, Imbula está mal, arrisca pouco, quando arrisca erra... será condição física? Varela esteve ausente...

F.C.Porto - G.D.Estoril Praia. Ganhar bem para recuperar a confiança


Depois da desilusão que significou o resultado e pior, a exibição no jogo contra o Marítimo, da jornada anterior, é fundamental que amanhã e frente a um adversário que raramente é fácil para o F.C.Porto, começar a recuperar a confiança que ficou abalada no jogo dos Barreiros. Para isso, importa ganhar, obviamente, mas bem, isto é, conseguir uma exibição, vá lá, simpática - para não pedir muito a uma equipa nova e que está no início de época. E chega, não é preciso meter a cassete de como devemos jogar. Já está mais que gasta!

O árbitro é Duarte Gomes, auxiliado por Venâncio Tomé e Nuno Vicente.

Convocados do F.C.Porto:
Guarda-redes, Casillas e Helton;
Defesas, Maxi Pereira, Maicon, Marcano, Martins Indi e José Ángel;
Médios, Rúben Neves, Danilo, Imbula, Herrera e André André;
Avançados, Tello, Varela, Aboubakar, Osvaldo, Brahimi e Bueno.

Equipa provável:
Casillas, Maxi, Maicon, Marcano e José Ángel ou Martins Indi, Danilo, Imbula e Herrera, Varela, Aboubakar e Brahimi.


Operação Fénix versus Operação Porta 18
Esta história da Operação Porta 18, que envolve o ex-motorista de Vieira, que virou Director do Departamento de Apoio aos Jogadores, coisa menor num grande clube, já se vê, andava com carros do Benfica e operava nas instalações do clube do regime, é paradigmática e mostra bem como funciona a lixeira de cheiro nauseabundo em que se transformou, salvo cada vez mais raras excepções, a comunicação social, quando se trata de assuntos polémicos. Se é com o F.C.Porto, como se viu na chamada Operação Fénix, extrapola-se, mente-se, faz-se jogo sujo, como é exemplo aquilo que referi na altura própria e retirado do site dos porcos da bola:
"Detidos no âmbito da Operação Fénix ouvidos no Tribunal de Lisboa", foto, Antero Henrique.
"Aparato para receber detidos no âmbito da Operação Fénix", foto, Antero Henrique.
"Líder da empresa de segurança ouvido em Lisboa", foto, Antero Henrique.
Várias fotos com um dos arguidos junto ao Presidente do F.C.Porto - Sim, porque no Benfica e no Sporting, quem faz segurança são meninos de coro, anjinhos, uns copinhos de leite.
Quando se trata do clube do regime, passa-se pelo assunto como raposa por vinha vindimada, omite-se, branqueia-se, procuram-se todos os pretextos para minimizar danos, quase ninguém se atreve as conclusões óbvias. Por exemplo:
Como é que o tal Carriço não é funcionário do Benfica e tinha gabinete na instalações do Benfica?
Para a comunicação social quando se trata do F.C.Porto logo aparece o rótulo: culpados! Quando se trata do Benfica: inocentes!
- Tadinho do Luís, tanto ajudou o Carriço e agora foi traído!

O Leitor. Mas também podia ser: "Burros são os que confundem risco com linha, ou que julgam que coca-cola só tem quatro letras."

Vale tudo para vender papel.
Se todos os clubes que são prejudicados pelas arbitragens, reagissem como reagiu o Sporting, chamando ladrão ao árbitro e dissessem, como disse Bruno de Carvalho, "Parece trampa, cheira a trampa, sabe a trampa é trampa de certeza", o futebol virava selva, valia tudo. O panfleto da queimada ao destacar na capa as desbocadas e vergonhosas declarações do presidente do Sporting, mostra à saciedade e de forma clara, que o tal futebol melhor que dizem defender, é conversa da treta. O que é preciso é vender papel e se para isso for preciso ir mais longe que qualquer tablóide rasca, vai, sem problemas. Depois queixam-se que os adeptos fazem porcaria...
A Bola "dirigida" pelo Serpa, faz os seus fundadores e cabouqueiros dar voltas no túmulo. Que nojo!

Para ler a crónica de Pedro Marques Lopes, clicar na imagem


Porque hoje há Sorteio da Champions...


Grupo G: Chelsea, F. C.Porto, Dínamo de Kiev, Maccabi Telavive

Estamos na última semana e a poucos dias do fecho do mercado de transferências e ao contrário dos anos anteriores, não há o receio da saída de jogadores nucleares... quem tinha de sair já saiu! Há sim, jogadores a colocar, Quintero?, Rolando, Adrián, Djalma, são os que faltam, uns acertos a fazer, dois, talvez, dependendo das possíveis entradas, alguns que até foram apresentados, ainda podem abandonar o Dragão. Entretanto importa preparar bem o jogo frente a um Estoril tradicionalmente difícil e aguardar, sem esquecer que hoje temos o sorteio da Champions League.
 
Fase de Grupos, 1ª Jornada, 15 e 16 de Setembro; Dínamo - F.C.Porto
2ª Jornada, 29 e 30 de Setembro; F.C.Porto - Chelsea
3ª Jornada, 20 e 21 de Outubro; F.C.Porto - Maccabi Telavive
4ª Jornada, 3 e 4 de Novembro; Maccabi Telavive - F.C.Porto
5ª Jornada, 24 e 25 de Novembro; F.C.Porto - Dínamo de Kiev
6ª Jornada, 8 e 9 de Dezembro; Chelsea - F.C.Porto

Começamos na Ucrânia, a uma quarta-feira, antes de um F.C.Porto - Benfica, que joga na terça na Luz frente ao Astana. Recebemos o Chelsea após uma ida ao Moreirense. Antes do F.C.Porto - Maccabi acho que há uma eliminatória da Taça de Portugal ou compromissos das selecções, depois recebemos o S.Braga. Antes da viagem a Israel vamos ao União da Madeira, após, recebemos o Vitória F.C. Antes de recebermos o Dínamo de Kiev, mais Taça ou selecções, após temos o Tondela - F.C.Porto. Finalmente, antes da viagem a Londres, recebemos o Paços de Ferreira, após, vamos novamente à Madeira, desta vez para defrontar o Nacional. Tudo somado, o sorteio na conjugação da competição interna com a Champions, não foi muito favorável.

Oitavos-de-final:
16 e 24 de Fevereiro;
8 e 16 de Março.

Quartos-de-final:
5 e 6 de Abril;
12 e 13 de Abril.

Meias-finais:
26 e 27 Abril;
3 e 4 de Maio.

Final:
28 de Maio, Estádio Giuseppe Meazza em Milão.

Notas soltas:
Os merdosos da travessa da queimada e os seus peões de brega da redacção do Porto, andam muito preocupados com o salário que vêm ganhar os jogadores que chegam para o F.C.Porto... tanto que até lhe dão destaque de capa.
Já Mitroglou e Jiménez, por exemplo, parece que vêm jogar de borla, por amor à camisola. Ora, sendo assim, quando chegaram não foi preciso destacar na primeira página o valor do salário.

Segundo notícias provenientes de Madrid, Fábio Coentrão foi amarrado num colete de forças e levado para o Mónaco.

O F.C.Porto é uma equipa de Champions League. Portanto, está mais que provado que não podia ter como treinador um "Catedrático" de trazer por casa.
Já Doumbia vai ser obrigado pela UEFA a cortar os braços. Sim, não se viu claramente o rapaz a esticar de propósito o braço para marcar golo? Qual ressalto, qual carapuça!

Não pode ser verdade, se fosse verdade estava em todos os jornais, não era só o JN que trazia a notícia.
- Não delires, Vila Pouca, só se fosse no F.C.Porto é que vinha em todos os jornais...

- Copyright © Dragão até à morte. F.C.Porto, o melhor clube português- Edited by andreset