Populares Mês

A lata do Kaspa... e novidades?

A lata do Kaspa.
Como é sabido e aqui já foi suficientemente tratado, uma delegação do F.C.Porto, liderada pelo Presidente Jorge Nuno Pinto da Costa, esteve até hoje em Luanda, Angola.  O jornal A Bola, mais conhecido no Dragão até à morte, pelo carinhoso nome de panfleto da queimada, limitou-se a dar uma ou outra nota, ao contrário do que acontece quando se trata do clube do regime; o tratamento jornalístico da visita do Líder portista não tem comparação com o tratamento jornalístico que é dado às visitas de Vieira; nenhum enviado especial do jornal seguiu com a comitiva do F.C.Porto, ao contrário do que acontece sempre que é o presidente do Benfica que vai lá fora. É apenas mais um exemplo que diz tudo acerca da forma como o jornal que Kaspa devia dirigir, mas não dirige, trata o grande clube da Invicta - podia dar muitos outros... Portanto, pode Kaspa argumentar o que quiser, agora sendo "director" de um jornal faccioso, tendencioso, sectário, que trata um com todo o desvelo, enquanto discrimina outro, não pode vir depois dizer, pegando nestas palavras de Pinto da Costa: "É agradável, direi mesmo que é reconfortante, a esta distância, ainda que num país amigo e irmão, possamos sentir que o FC Porto é aqui mais apreciado e amado do que em muitos sítios de Portugal", que a culpa é do F.C.Porto. Algumas, até pode ter, mas é principalmente porque em Portugal não há isenção, equilíbrio, respeito pelos melhores, dá-se mais relevo a um toco de vassoura que chega para a Luz que a um grande sucesso do F.C.Porto; uns são tratados como anjinhos, branqueados, o outro é tratado como o império do mal, extrapolado.
É preciso ter lata, ó Kaspa!

E novidades?
O Benfica entrou forte, ao minuto 22 já vencia por 3-0, tudo parecia fácil. Mas o Moreirense reagiu, ao minuto 26 reduziu para 3-1 e em cima do intervalo, com medo que a equipa de Moreira de Cónegos pudesse atrapalhar, encostar no marcador e deixar tudo em aberto para a segunda-parte,  Jorge Tavares perdoou um penalty claro ao clube da Luz. E novidades? Nenhumas. Siga a rusga que a pouca vergonha não tem limites.
O Benfica podia ganhar um jogo sem casos? Podia... mas não era a mesma coisa!


O fruto dos bons afectos


O enviado especial do Dragão até à morte já me tinha dado nota do sucesso que a visita de uma delegação do F.C.Porto, liderada por Jorge Nuno Pinto da Costa, está a fazer a Angola. Mas como ele é suspeito... nada como pôr os angolanos a falar e graças à ajuda do José Carlos que me deu a dica, deixo o editorial do jornal de Angola, ao mesmo tempo de dou conta que enviei um e-mail ao Provedor do Telespectador da RTP a mostrar o meu desagrado por a visita não ter tido nenhum eco na televisão pública.
Como diz Pinto da Costa:
"É agradável, direi mesmo que é reconfortante, a esta distância, ainda que num país amigo e irmão, possamos sentir que o FC Porto é aqui mais apreciado e amado do que em muitos sítios de Portugal"

Editorial do Jornal de Angola
«Uma embaixada do Futebol Clube do Porto está em Angola chefiada por Jorge Nuno Pinto da Costa, o presidente dos “Dragões”.
No campo desportivo, já registámos a grande vitória: uma das mais importantes instituições desportivas do mundo vai participar na formação dos jovens futebolistas angolanos, através de um protocolo de cooperação com a Academia de Futebol de Angola.
Este acontecimento mostra que em Portugal há quem passe rapidamente das palavras aos actos. Nem todos se ficam pelas boas intenções, por reuniões fastidiosas e promessas que saem da boca para fora e morrem logo a seguir nas gavetas de um qualquer ministério do Terreiro do Paço.
Jorge Nuno Pinto da Costa, com o seu proverbial sentido de humor, vincou isso mesmo. Em declarações à imprensa angolana, disse que se as relações e as realizações que delas decorrem, entre o F. C. Porto e as autoridades angolanas, tivessem igual expressão no poder político e económico de Portugal, os dois povos estariam hoje mais próximos e seguramente a viver muito melhor. Nós temos matérias-primas estratégicas que fazem muita falta ao desenvolvimento da economia portuguesa e Portugal tem “know-how”, investigação e quadros especializados que podem suprir de uma forma eficaz e célere as nossas carências mais gritantes.
Tudo isto é verdade e tão visível que ninguém contesta. Mas a dimensão afectiva é ainda mais importante. A inteligência emocional precisa de afectos e de memórias, de caminhos percorridos lado a lado, de projectos comuns que reforcem os laços entre dois povos que se conhecem e convivem há 500 anos. O presente só faz sentido se formos capazes de criar relações mais duradouras e justas, que vão suportar um futuro promissor e próspero para os dois povos.
Numa entrevista à rádio Luanda Antena Comercial (LAC), Jorge Nuno Pinto da Costa recordou o dia em que o Presidente José Eduardo dos Santos lhe pediu que localizasse em Portugal o seu treinador no F. C. Luanda, quando ainda era júnior e um dos mais promissores futebolistas angolanos. Esse gesto simples tem a grandeza do que liga angolanos e portugueses. Em primeiro lugar, o que significa no campo dos afectos. E depois, o que existe de positivo num passado que a dominação colonial inquinou, envenenou, mas não foi capaz de se erigir como um a muralha de frieza e distanciamento.
O F. C. Porto é um dos maiores clubes do mundo. Desde o tempo de Feliciano ou Baeta que dá cartas no campo da formação. Das escolas dos “Dragões” saíram alguns dos melhores futebolistas do universo do futebol. A cooperação que agora começou com a Academia de Futebol de Angola vai seguramente ajudar a fortalecer as bases do nosso meio futebolístico, cheio de talentos mas que precisam de orientação. São autênticos diamantes por lapidar.
A intervenção de técnicos qualificados do F. C. Porto é fundamental para transmitir novos conhecimentos aos técnicos angolanos e dar novas perspectivas aos jovens atletas. A metodologia do treino nas camadas jovens é crucial. Nos escalões de formação é que se moldam os grandes atletas do futuro. Pelo percurso do nosso futebol sénior, é fácil perceber que a motricidade dos atletas foi descurada na fase inicial e que o treino específico falhou. Com a parceria agora estabelecida, esse quadro vai mudar. Só por isso, foi importante a visita a Angola da embaixada desportiva do F. C. Porto.
Mas há também o jogo dos afectos. Milhares de angolanos andam pelas ruas das nossas vilas e cidades com as suas camisolas “azuis à Porto”. O grande clube português tem entre nós muitos milhares de adeptos. Para esses, mas também para todos os desportistas angolanos, a visita a Angola da comitiva dos “Dragões” presidida por Jorge Nuno Pinto da Costa foi motivo de alegria e felicidade. O futebol continua a ser entre nós, o desporto das multidões. F. C. Porto, Benfica, Sporting e Belenenses continuam a ter muitos adeptos em Angola. Ainda que o emblema da “Cruz de Cristo” já não tenha ao seu serviço o grande Matateu, o seu irmão Vicente, ou Laurindo e Godinho, os nossos craques que foram jogar para Portugal.
A embaixada desportiva dos “Dragões” trouxe consigo e pela voz do presidente Jorge Nuno Pinto da Costa o Portugal afectuoso, amigo e solidário que os angolanos gostavam de ver a todos os níveis e muito especialmente ao nível do poder político cujos actores se esforçam (e conseguem) para ensombrar as nossas relações fraternas, que todos queremos ver mais estreitas e fortes. Mas temos a certeza de que um dia, de Portugal só vão chegar bons ventos e a amizade contagiante e afectuosa que a embaixada dos “Dragões” agora nos trouxe. O tempo vai acabar por fazer vir ao de cima, o bom senso e a inteligência.»

Notas finais:
É tão fácil dizer nesta altura que André André não devia ter saído do F.C.Porto... Será que Paulo Teixeira Pinto viu algum jogo do agora jogador do Vitória Sport Clube, quando ele, com 18 anos, servia os Dragões? De certeza que não... caso contrário teria de levar para o campo da má-fé e não quero.

Ainda bem que a pobreza de espírito não paga imposto...
Se no pensamento do pobre de espírito e triste calimero, José Eduardo, em vez de Luís Filipe Vieira estivesse Jorge Nuno Pinto da Costa, seria a mesma coisa, o que pensa a maioria dos benfiquistas é o mesmo que pensa a maioria dos portistas, sobre a questão da "união" Benfica/Porto para a Liga. Mas o pobre de espírito, como escreve num jornal vermelho e para agradar aos benfiquistas, nada como fazeu uso do mais primário anti-portismo e agitar o velho e estafado papão do F.C.Porto mau da fita.
Há gente que se não existisse o F.C.Porto já se tinha suicidado.

Basquetebol, Dragon Forte 98 - Guifões 39.
Andebol, Taça EHF, F.C.Porto 29 - Ademar León 24.
Hóquei, Vendrell 7 - F.C.Porto 9. 
Na moquinha estávamos a perder 7-3 a 9 minutos do fim, viramos para 9-7

Liderança e atitude


No seu artigo de hoje no panfleto da queimada, Pedro Marques Lopes disserta sobre atitude e liderança, dá o exemplo do Roy Keene e Alex Fergusson, conclui que os treinadores que são líderes e por consequência, mais capazes de incutir a atitude e o espírito correcto, fazem a diferença, num mundo do futebol em que de tácticas, estratégias, sistemas, modelos, etc, todos sabem. Concordo, já tinha abordado o assunto aqui, mas o grande líder, o que faz a diferença, é aquele que junta à liderança, que tem de ser natural, a capacidade de montar equipas fortes para sob ponto de vista estratégico e táctico, sem esquecer a coragem e ousadia para no banco mexer em tempo. E nisso os treinadores ingleses não são muito bons. Há equipas britânicas que ganharam na atitude - Celtic na final da Taça dos Campeões disputada em Lisboa, frente ao Inter; Nottingham Forest, treinado por Brian Clough, frente ao Liverpool; Aberdeen com Alex Fergusan no banco, frente ao Real Madrid na Taça das Taças (no ano seguinte, época 1983/1984, levou um banho completo do Porto de Pedroto) -, mas com excepção do grande Liverpool de Kenny Dalglish, Ian Rush e Graham Souness ou o Manchester de Bobby Charlton e George Best, as equipas inglesas tinham grandes dificuldades em se impor e tudo só começou a mudar quando importaram treinadores e jogadores, mudaram regras que não faziam sentido, como era o caso de não serem permitidas substituições. Aliás, Bobby Robson, o melhor treinador de campo, isto é, no treino dia a dia que vi no F.C.Porto, no banco só mexia quando lhe gritavam.
Rematando: nos dias de hoje, uma equipa com boa atitude e até mais forte fisicamente, mas sem estratégia, tacticamente desorganizada e descompensada, perde muito mais vezes do que ganha, a uma equipa com organização, estratégia e táctica correcta, mesmo que tenha menos atitude e menos físico. E nem falo da parte técnica. Podem ser equivalentes nesta matéria.

André Silva e Ivo Rodrigues renovaram contrato até 2019. André tem uma cláusula de 25 milhões, Ivo de 30. Já andava muita gente nervosa, o facto ainda não estava consumado e já tinham zurzido nos responsáveis portistas, sobre a saída, que era certa, de André Silva. Não se confirmou e agora esperemos que os dois jovens não defraudem as expectativas, venham no futuro a corresponder a todas as esperanças neles depositadas.

Demagogias
Pois, a RTP garantir a Champions é um desperdício de dinheiros públicos, não é importante, o futebol não interessa, é coisa menor, deixem lá isso para os privados. A Champions que dá grandes audiências e tem retorno, não pode ser, mas aquelas pimbalhadas que transmitem nas tardes de sábado, por exemplo, em que massacram as pessoas para fazerem chamadas de valor acrescentado, aí não há problemas, devem ser a custo zero. E já nem falo de nos jogos importantes e quando há grande sucesso desportivo, aí estão eles todos pimpeiros nas tribunas, às vezes até pedem convites a gente pouco recomendável. Mas fica bem estigmatizar o futebol, fazer demagogia, como se fosse por isso que a RTP tem problemas, está em crise.
Apetecia-me atirar à cara de Marques Guedes com tantos e tantos desperdícios de dinheiros públicos, mas não vale a pena... Sou muito crítico da forma como a televisão pública trata o F.C.Porto - por exemplo: está em Angola uma delegação do F.C.Porto, liderada pelo seu responsável máximo, o Presidente Pinto da Costa; a RTP tem um correspondente em Luanda, Paulo Catarro; alguém já viu uma notícia no canal público sobre essa visita? Mas, não confundo as coisas.

No panfleto da queimada de ontem, Nuno traumatismo ucraniano Paralvas, dá como certa a transferência de Enzo Pérez para o Valência na reabertura do mercado de Janeiro, por 30 milhões de euros. Diz mais, que Peter Lim, o dono do clube espanhol, depois de ter oferecido 25 milhões mais o passe de Jonas, no Verão, oferta que o Benfica não aceitou, agora vai chegar-se à frente e vai dar 30.  Quer dizer, Lim ofereceu 25+Jonas, depois libertou Jonas sem nenhuma exigência e o brasileiro ingressou no Benfica a custo zero e agora vai dar 30? Sinceramente, não sei como fez fortuna o multimilionário de Singapura, mas não deve ser a fazer negócios destes, de certeza absoluta.

Lopetegui; F.C.Porto em Angola; o "Guardanapo" está à rasca; e o inventor da pólvora


Julen Lopetegui deu uma entrevista à revista da UEFA, Champions Matchday. Ficam alguns dos assuntos abordados
Sobre a juventude do plantel:
«A média de idades do plantel do FC Porto é a mais baixa da história da Liga dos Campeões. Estamos a depositar muita confiança na juventude e ser jovem não é um crime. Claro que há falta de experiência mas, ainda assim, no relvado a equipa tem um bom desempenho. A equipa quer continuar a crescer e fará tudo para manter o processo de evolução»
- Mister, é verdade que há muita juventude, mas no F.C.Porto a exigência não se compadece com o que marca o bilhete de identidade. Ganhar é preciso, não há tempo para deixar crescer naturalmente, a juventude. 

Sobre Brahimi:
«Está a dar uma grande resposta. É um miúdo que está sempre à procura de aprender e crescer. É cheio de energia. Está em grande forma e agora tem de continuar a trabalhar, sabendo que há sempre novos desafios pela frente. Mas atenção: não contem que marque três golos por jogo»
- Completamente de acordo. Não podemos pôr toda a responsabilidade em cima de um jogador, por mais capacidade que ele tenha. Tem de ser um colectivo forte que faça sobressair as individualidades. Até porque em janeiro e início de Fevereiro o argelino não estará cá.

Sobre a luta pelo título:
«Temos dado boa conta de nós. Ficamos frustrados sempre que perdemos pontos, mas sabemos que estamos bem e que, ou seremos campeões ou lutaremos até ao fim. É justo afirmar que começámos bem, mas não dou garantias sobre nada»
- Queremos ser campeões, temos capacidades mais que suficientes para o conseguir e só dependemos de nós. Façamos bem o nosso trabalho de maneira que nunca no fim de um jogo fique a sensação que não ganhamos porque não fizemos tudo o que era preciso. Se for assim, mesmo com a andor carregado de paixão e a ir de mota... vamos ser campeões.

Notas soltas:
Uma delegação do F.C.Porto liderada por Pinto da Costa e de que fazem parte, entre outros, Antero Henrique e Fernando Gomes, está de vista a Angola. Com as torneiras a fecharem em Portugal, de que PT, BES são os melhores exemplos, é importante olhar para outros mercados, outras oportunidades de negócios e Angola é uma possibilidade que não pode ser ignorada. Isto, para além das razões que estiveram na origem da visita, o protocolo recentemente assinado com a Academia de Futebol de Angola (AFA).

A FIFA tinha condenado o Marítimo a pagar 2,5 milhões de euros ao Atlético Mineiro no caso Kléber, o "Guardanapo" recorreu ao TAS, o Tribunal Arbitral do Desporto fez um desconto, não vai pagar 2,5, mas vai pagar 1,55 - ver aqui. Mantêm-se actual este post de 25 de Maio de 2013, resta ao presidente do Marítimo pagar e não bufar. Como o Alberto João fechou a torneira, Carlos Pereira, vulgo o "Guardanapo", pode sempre pedir ajuda aos amiguinhos - o post em causa explica quem são.

Bruno foi à UEFA, não há nenhuma nota nem nenhuma declaração de ninguém ligado ao organismo que manda no futebol europeu, mas no  Rascord lá está:
«UEFA vê no Sporting um aliado contra os fundos»; «Bruno de Carvalho foi ouvido com toda a atenção»; «UEFA reconhece a importância das propostas do Sporting»
Depois da UEFA, a FIFA e mais uma reunião produtiva, com as propostas inovadoras - fair-play financeiro, fundos e agentes, proteção dos clubes formadores e a introdução de novas tecnologias no futebol, para auxilio das equipas de arbitragem. Porque nunca ninguém tinha pensado nisso?-, a serem consideradas um bom contributo para a reforma e desenvolvimento do futebol - a FIFA, tal como a UEFA, não disse nada, mas houve comunicado.

Com a devida vénia ao João Carlos:
Andebol, Sporting 23 - F.C.Porto 24.
No último segundo e com a mão. Espera-se comunicado!!

Paradigmático


Vítor Serpa, jornal A Bola, 29 de Setembro de 2013 
«Vamos por partes: em matéria de queixas, o Benfica tem toda a razão.

O FC Porto garantiu três pontos através de um penalty que tornou ridícula a arbitragem de Pedro Proença e no golo de empate do Belenenses a interpretação do árbitro foi algo abusiva, uma vez que o critério mais adequado teria sido anular o golo por fora de jogo. 

Daí que a revolta que Luís Filipe Vieira mostrou seja atendível e até justificada.Percebe-se que num campeonato em que os principais candidatos não perdem muitos pontos, qualquer ponto oferecido por erros grosseiros de arbitragem pode fazer a diferença e pode ser decisivo...»

À procura de outra coisa, encontrei um texto de Vítor Serpa publicado no dia seguinte ao F.C.Porto - Vitória S.C., época 2013/2014, que os Dragões venceram por 1-0, golo de penalty mal assinalado por Pedro Proença. Já tinha abordado o caso aqui, mas como em 2014/2015 o andor vai carregado de vermelho, este artigo de Vítor Serpa é um exemplo paradigmático da forma como alguns vendilhões do templo, alguns prostitutos do jornalismo se portam, resolvi voltar à carga. Alguém viu este artista dizer alguma coisa quando nesta temporada o Benfica é quase sempre beneficiado - e o F.C.Porto tem sido prejudicado -, como o post do Adriano Freire demonstra de forma exemplar? Onde páram agora as preocupações com os desequilíbrios provocados pelos árbitros? Porque será que estes facciosos, para além de não dizerem nada e branquearem tudo, ainda se atrevem a criticar o treinador do F.C.Porto, quando ele, que ao contrário deles, é parte interessada, se queixa?
A actual direcção da Bola há muito tempo que perdeu a vergonha na cara. Não há um que se aproveite. Serpa, Guerra, Delgado, Neves, é tudo farinha do mesmo saco.

Vi o Portugal 1 - Argentina 0 de ontem e como não tenho medo das palavras, digo que foi um espectáculo intragável, um enorme bocejo, uma falta de respeito pelos espectadores que pagaram bilhete para assistir ao jogo. A selecção das pampas foi muito melhor, a portuguesa esteve muito abaixo dos mínimos exigíveis. O resultado é claramente injusto, Portugal nem empatar merecia, quanto mais ganhar. De Fernando Santos pode dizer-se: quem o viu e quem o vê. O treinador fechado, tenso e que parecia sempre mal disposto, nos tempos do F.C.Porto, deu lugar a um seleccionador sorridente, solto, sempre disponível, capaz até de dizer piadas e brincar.
Pois, o F.C.Porto - Moreirense foi um bocejo, já o Portugal - Argentina... tive de ser eu a dizê-lo.

Talvez a culpa fosse do Cutty Sark, mas esticou-se, colocou em causa a ética do médico do F.C.Porto quando da lesão do Fernando, no célebre F.C.Porto-Marítimo para a Taça da Liga e o F.C.Porto se atrasou 2 minutos a entrar em campo. O médico dos Dragões não gostou, fez queixa à Ordem e o Dr.Barroso agora vai ter de se explicar.

Reyes e a Micas sempre em forma


Não é preciso o seleccionador do México dizê-lo, seria para mim estranho que o treinador e a estrutura do futebol profissional do F.C.Porto não tivessem a mesma opinião sobre as qualidades e o potencial de Diego Reyes. Agora, é preciso alguma calma, não estamos a falar de um jogador perto do final da carreira, há jogadores que se afirmam logo, há outros que demoram mais tempo a impor-se. Sobre Reyes, já disse, mas repito: se o jovem internacional mexicano fizesse meia dúzia de jogos seguidos na principal equipa do F.C.Porto e no lugar de central pelo lado direito; tivesse a mesma margem de tolerância de todos, em particular de técnicos e adeptos, quando erra, como acontece com alguns dos seus companheiros da defesa, Reyes, é minha convicção, já se tinha afirmado. A polivalência é óptima e jogar a trinco pode ser uma opção, mas em primeiro lugar é preciso esgotar todas as possibilidades na posição para que foi contratado. Para mim não faz sentido pensar em colocar Reyes a rodar, contratar outro central. Quem? Um em final de carreira que viesse para quarta opção? Mais um jovem para aquecer o banco? Se ainda me falassem no Mats Hummels... Reyes e o chileno Lichnovsky, que se estreou pela selecção principal do seu país na última sexta-feira, são o futuro. Só precisam de oportunidades. Principalmente quando e muitas vezes, quem joga, comete erros grosseiros, não prova ser muito melhor e nem isso significa a entrada do suplente que está à espera.

A Micas
- Micas, anda cá e diz-me quem é o melhor do mundo, quem merece a Bola de Ouro: Cristiano Ronaldo ou Lionel Messi?
- Achim Braimi.
- Como? Não quererás tu dizer, Yacine Brahimi?
- É isso mesmo... Achim Braimi e mais nada! Ah, outro que é muito falado, principalmente naquele jornal queimado, é o Iscas.
- Micas, não é jornal queimado, é panfleto da queimada. E não é Iscas, é Talisca.
- Talisca?! Mas isso é nome de gente? Olha filho, gostas de gozar com esse jornal queimado, mas não devias. Sabias que a Juventus está atenta ao Crisântemo? Pois, não sabias, mas vem no jornal queimado
- Micas, Micas, não será Cristante? Olha, até admira não dizeres nada sobre os 75 milhões do Arsenal pelos colombianos que tanto gostas... Também vem no panfleto da queimada.
- Ai, ai, não me digas uma coisa dessas... No meu Cha e no meu Quinteiro ninguém toca. Ouviste? Podes dizer isso ao Jorge Nuno e ao Antero.
Olha, estás a brincar comigo, mas fica sabendo que fui convidada para um cargo importante e não aceitei. Foi a Anabela em meu lugar.
Nada como o pragmatismo da Micas para resolver questões difíceis...

Nota final:
O presidente do Bayern desconfiou do número de sócios do mais maior, melhor, grande clube do universo.
Coitado, desconhece que o Benfica para além dos sócios na Terra, também tem sócios em Mercúrio, Vénus, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Neptuno e Plutão.

Ivkovic, fã do F.C.Porto e de Pinto da Costa


Com a interrupção dos campeonatos e sem muita matéria noticiosa, como os portistas não comem palha tipo: "Mitrovic o desejo caro de Jesus", não fica fácil a vida de quem quer fazer um post por dia. O tema Adrián López já cansa, já foi mais que discutido, apenas acrescento ao que fui dizendo o seguinte: registo as análises definitivas de alguns entendidos. A rotatividade também já mereceu imensos destaques, horas de conversa, dizer algo é dizer o que já foi dito e repetido. Idem para os penaltis falhados e por isso apenas realço a postura de Danilo que aparece como voluntário para marcar penaltis e pelos vistos tem treinado muito. Quaresma deixou de ser caso e esperamos que nunca mais volte a ser. Na selecção é arma secreta, no F.C.Porto não podia ser, tinha de jogar sempre e sempre de início. Brahimi voltou a dar show, desta vez ao serviço da Argélia, mas que mais acrescentar sobre o craque que assiste, marca, desequilibra, decide, que já não tenha sido dito? Mesmo o tema do andor vermelho mereceu toda a atenção e já foi escalpelizado ao pormenor. A propósito do Benfica, seria pedir demais que no panfleto da queimada e numa peça sobre os 10 segredos da liderança do clube do regime, aparecesse o colinho dos árbitros como uma das razões. Portanto, como não há muito assunto e a disposição não é muita... apanhei os elogios de Ivkovic ao F.C.Porto e está feito.

Em entrevista ao jornal croata Vecernjl list e que O Jogo reproduz parte, o antigo guarda-redes do Sporting e de outros clubes portugueses, Ivkovic, tece grandes elogios ao F.C.Porto e a Pinto da Costa, confessa a sua admiração por José Mourinho e diz que o actual treinador do Chelsea deve o sucesso a ter trabalhado no grande clube da Invicta. Concordo. Se é verdade que o agora o auto-intitulado "happy one" é muito bom e provavelmente mais tarde ou mais conseguiria impor-se, se em vez de rumar ao Norte, José Mourinho tem rumado ao Sul, duvido muito que tivesse o mesmo sucesso e chegasse ao topo tão rapidamente. Pena que ao contrário de Ivkovic, que até nem serviu o F.C.Porto, note-se e de tantos outros que não se cansam de realçar a importância do melhor clube português nas suas carreiras e publicamente se mostram reconhecidos, José Mourinho seja sempre muito recatado quando fala da sua passagem pelo clube nortenho, da importância do clube presidido por Pinto da Costa na sua brilhante carreira. Mourinho continua com pedras no sapato, mas não devia. Foi dele quase em exclusivo a responsabilidade do episódio que o fez sair pela porta das traseiras, quando e após Gelsenkirchen, devia ter saído em ombros pela porta da frente. Mas se este comportamento é lamentável, muito pior foi o comportamento quando o chamado caso Apito Dourado estava no auge. Aí, o silêncio de Mourinho foi incompreensível e totalmente injusto para o universo do F.C.Porto e em particular para o Pinto da Costa a quem Mourinho tanto deve ver mais, aqui

Nota final:
Ontem tentei ver o Trio D' Ataque, mas tive azar. Apanhei o ressabiado armado em moralista e mais uma vez a debitar postas de pescada contra a Olivedesportos e por consequência, contra o irmão. Vai estar atento, vai dizer, fazer, acontecer. Perdeu completamente a noção do ridículo. Será que ele acha que há muita gente a levá-lo a sério?

Entrevista ao menino Estádio do Dragão que comemora hoje o 11º aniversário


Porque mostrou disponibilidade num dia muito especial, não podia deixar passar a oportunidade de entrevistar o menino Estádio do Dragão que comemora hoje o 11º aniversário.

- Menino Estádio do Dragão, em meu nome e em nome de todos os que frequentam este humilde tasquinho e em primeiro lugar, muito obrigado pela simpatia, é um prazer tê-lo connosco, muitos parabéns e feliz aniversário.
- Eu é que agradeço, o prazer é todo meu.

- Menino, apesar de não ser uma originalidade, o menino deve estar sempre a ouvir dizê-lo, agora que estou aqui tão próximo de si, não posso deixar de referir que o menino é muito bonito, de uma beleza esmagadora e que nos deixa sem palavras. 
- É, de facto estão sempre a dizer-me que sou lindo, as minhas linhas são perfeitas, que os meus pais capricharam... até fico encabulado, sem saber o que dizer perante tanta simpatia e tantos elogios Ah, não me trate por menino, trate-me por Dragão. Sabe, festejo hoje apenas 11 anos, mas já vivi tanto...

- É verdade, parece que ainda foi ontem o dia da sua chegada, da festa magnífica que tive o privilégio de assistir, apesar do frio de rachar que estava nessa tarde/noite de 16 de Novembro de 2003. 
Dragão, nestes 11 anos de vida, certamente que teve alegrias, tristezas, momentos que recorda com emoção, acontecimentos marcantes pela positiva e pela negativa. Quer referir alguns?
- Repare, nestes 11 anos de vida, em 8 deles festejei o título de Campeão Nacional, uma Champions League, uma Liga Europa, uma Taça Intercontinental, quatro Taças de Portugal, não faço conta às Supertaças. Já vi nascerem, crescerem, tornarem-se referências do futebol português e mundial um sem número de jogadores. Vi a estreia de um dos melhores jogadores de futebol de sempre. Vi grandes equipas do F.C.Porto, algumas que fizeram história. Vi exibições que que marcaram quem teve a felicidade de a elas assistir. Já vi golos fantásticos, tantos que é difícil escolher um, embora concorde consigo acerca do golo de Tarik Sektioui. Vivi momentos que não são traduzíveis por palavras, como o golo de Kelvin ao minuto 90+2 e a loucura posterior. Também vivi momentos maus, mas foram tão poucos em comparação com os momentos bons... que já me esqueci deles.

- E o que espera deste ano que começa a contar a partir de hoje?
- Olhe, espero coisas boas, em particular, espero ter em Maio mais uma festa de arromba.

- Uma, só? 
- Sim. Já seria óptimo, duas seria pedir demais. Mas, olhe que logo no meu primeiro ano de vida ninguém apostava nada e sabe o que aconteceu, não sabe?

- Sei, sei, mas concordo consigo, vamos com calma, vamos indo e vamos vendo.
Dragão, sendo tão popular e tão querido, imagino que tenha recebido muitas vistas e muitas prendas. Quer referir alguma em especial?
- Olhe, visitas tive muitas, registo a daqueles que tiveram o trabalho de me imaginar, arranjar condições para nascer e têm feito tudo para me criar saudavelmente. Prendas tive muitas, a que mais me agradou foi uma maquineta especial e que vai permitir que o meu jardim esteja sempre em excelentes condições, para que os artistas que nele evoluem podem dar e bons espectáculos

- Menino Estádio do Dragão, muito obrigado, muitos parabéns, muitas felicidades, muitos anos de vida. 
   

No F.C.Porto mesmo os treinadores ganhadores e que fizeram história, foram contestados...


Se recuarmos até 1982, início do consulado de Jorge Nuno Pinto da Costa à frente dos destinos, primeiro do Clube e depois do Clube+SAD, verificamos que todos os treinadores que se sentaram na cadeira de sonho, mesmo os mais ganhadores, tiveram os seus problemas, os seus momentos negativos e de contestação, foram criticados e assobiados, embora uns mais que outros - Pedroto, para mim, o maior, foi; treinadores que fizeram história, como Artur Jorge, Ivic, José Mourinho, André Villas-Boas, porque ganharam praticamente tudo, também tiveram momentos complicados, sendo Ivic talvez o mais injustiçado. Em parte pelo facto de Ivic ter dito que Fernando Gomes era finito e não ter o Bi-Bota como clara primeira opção. Também porque o falecido técnico croata que ganhou quase tudo, desde Campeonato e Taça, Supertaça Europeia e Taça Intercontinental; foi eliminado nos pormenores na Taça dos Campeões e por um Real Madrid cheio de vedetas, após ter perdido ingloriamente em Valência e nas Antas, por 2-1, depois de estar em vantagem nos dois jogos, no de Espanha até 5 minutos do fim; era considerado defensivo. Defensivo apesar do F.C.Porto com ele no banco ter marcado 88 golos em 38 jogos, média de 2,3 e sofrido apenas 15, média de 0,39; ter apenas uma derrota e gamado à má fila em Alvalade; ter acabado com uma vantagem de 15 pontos para o segundo, com as vitórias a valerem apenas 2 pontos, o que significariam agora 25, a maior de todas as vantagens num título portista. Se Ivic foi o mais injustiçado, Artur Jorge, o treinador que colocou o F.C.Porto no mais alto patamar do futebol europeu, começou a ser contestado ainda não tinha iniciado o seu trabalho - muitos queriam a continuidade do falecido António Morais, fiel adjunto de Pedroto ou um treinador com outro perfil, mais experiente, por exemplo -, foi colocado em causa quando o F.C.Porto foi escandalosamente eliminado pelos galeses do Wrexham que pertenciam à quarta-divisão inglesa, isto depois de na época anterior o F.C.Porto ter sido finalista da antiga Taça das Taças. Ficou e após a eliminação da prova europeia arrancou para um época extraordinária, colocando a equipa a jogar um futebol de sonho, mas perdeu a final da Taça de Portugal e a temporada 1985/1986 foi bastante atribulada, com o título a surgir quando já muito poucos acreditavam e só na última jornada. Na seguinte, a histórica 1986/1987, com um plantel de sonho, o melhor de todos os tempos para mim, foi Campeão Europeu, mas perdeu o campeonato. Saiu porque a proposta do Matra Racing era fabulosa, por graves problemas pessoais, mas porque já não tinha muita margem de tolerância, mesmo com o retumbante sucesso de Viena. 
Este pequeno resumo da história do F.C.Porto sob a liderança de Pinto da Costa, serve para o seguinte: como o Líder por norma não despede treinadores antes do final da época - apenas Ivic na segunda passagem pelo F.C.Porto, porque havia Robson à mão, Víctor Fernández e Octávio foram excepções -, os que tiveram estofo e aguentaram, foram campeões. Os que não tiveram estaleca e abandonaram antes do tempo, podiam ter sido ou não. Julen Lopetegui também está a ser criticado, já foi contestado, muito assobiado, com todos os limites  a serem ultrapassados no jogo do Dragão frente ao Athletic Bilbao. Mas como não acredito que o treinador basco seja daqueles que desiste ou cede às pressões, tem um contrato de 3 anos e a confiança de quem manda, estou convicto que vai levar a água ao moinho, ganhar, deixar marca.

- Copyright © Dragão até à morte. F.C.Porto, o melhor clube português- Edited by andreset