Populares Mês

Schalke 04 0 - F.C.Porto 0. Jogo equilibrado, resultado justo, num bom jogo treino


Depois da derrota no jogo com o Borussia Monchengladbach, o F.C.Porto voltou a jogar novamente frente a uma equipa alemã, agora o adversário foi o Schalke 04, 6º classificado da Bundesliga. No jogo disputado em Gutersloh, num estádio com poucas condições, desta feita Julen Lopetegui fez alinhar de início: Casillas, Ricardo, Lichnovsky, Marcano e Alex Sandro, Rúben Neves, Evandro e Sérgio Oliveira, Varela, Aboubakar e Brahimi, num 4x3x3 clássico. E os Dragões, hoje com o equipamento principal, azul e branco, empataram a zero, num jogo equilibrado e com resultado justo.

1ª parte muito disputada a meio-campo, os alemães mais rápidos e mais intensos, um pouco mais perigosos que os portugueses. Não porque estivessem a ser superiores, sim porque eram mais pragmáticos a desenvolver as jogadas e também porque beneficiavam de alguns erros do conjunto de Lopetegui. Enquanto o Schalke em posse de bola não perdia tempo a soltá-la, natural numa equipa mais rodada e por isso mais organizada e mais compacta, do lado do F.C.Porto tudo era mais lento, mais previsível, mais mastigado, natural num conjunto que vários jogadores novos. Depois e a juntar a isso, houve uma ou outra situação em que era o passe que tardava ou saía errado, a equipa era apanhada  descompensada aos perigosos contra-ataques dos alemães, que em duas situações podiam ter marcado. Do lado do F.C.Porto quando se simplificou, Alex Sandro rematou ao poste na melhor oportunidade dos portistas nos 45 minutos iniciais. Também faltou, em particular no lado direito do ataque, quem desse a Varela a ajuda que que precisava. Ricardo, mal a defender e pouco esclarecido a atacar, nunca deu sequência às boas jogadas do Drogba da Caparica. Tudo somado, empate que se aceitava, se os alemães fossem para o intervalo com a vantagem mínima também não escandalizava.
 
2ª parte o F.C.Porto entrou com Helton no lugar de Casillas, Maxi no lugar de Ricardo, Maicon em vez de Lichnovsky e Alex (depois José Ángel aos 80), Rúben Neves (Danilo aos 60), Evandro (Bueno aos 60), André André substituiu Sérgio Oliveira que ficou nas cabines ao intervalo, Brahimi (Adrián aos 69), Aboubakar (André Silva 69) e Varela (Tello). E a etapa complementar foi muito parecida com a primeira. A melhor oportunidade voltou a ser do Schalke, que Helton salvou, mas houve uma pequena diferença, a equipa portista circulou melhor, estendeu-se mais, embora continuasse a faltar clarividência, houve sempre algo que falhou na definição, faltou pensar e executar mais rápido. Nada de grave, é o cansaço, há jogadores que ainda estão fisicamente muito mal. Dois exemplo: Maxi e Tello e se o uruguaio não admira, tem pouco mais que uma semana de treinos, já estranho é estranho... ou não, há jogadores para quem os inícios de época são complicados.

Resumindo: o objectivo de dar minutos de jogo a todos foi quase conseguido - Indi e Imbula foram as excepções -, o resultado é simpático, no próximo fim-de-semana no Torneio de Colónia, espera-se um Porto mais solto, mais próximo daquilo que está ao alcance destes jogadores, mesmo que seja preciso gerir bem já que são dois jogos exigentes em apenas 24 horas.

O melhor, para mim:
Porque Martins Indi está lesionado, Marcano tem jogado mais do que certamente Lopetegui queria, mas isso tem permitido ao central espanhol mostrar a qualidade que tem e reservar lugar no eixo central da defesa.
 
Nota final:
Depois de Jorge Máximo, o taxista vermelho, porque a prioridade do JN, apesar de ser um jornal nortenho, tinha que ser dada a um adepto do clube que ficou em 1º lugar, ontem foi a vez do nosso Lourenço do Trompete. É uma pequenina entrevista que podem ler aqui.

Se quiséssemos ser campeões da pré-época escolhíamos outros adversários

 
É natural, principalmente nesta fase e perante algumas exibições e resultados negativos, apareçam adeptos a ferver em pouca água, a darem palpites sobre tudo. OK, também faço isso, mas devemos todos ser objectivos e principalmente, construtivos. Como já disse e repeti, já vi pré-épocas fantásticas que deram lugar a épocas fracas, já vi o contrário e portanto, encaro estes jogos como eles devem ser encarados: servem para dar condição física, ritmo, mostrar para depois corrigir, defeitos, detectar lacunas. Claro que não gostamos de perder, mas se quiséssemos ganhar sempre não escolhíamos o 3º e 6º classificado da Bundesliga, Borussia Monchengladbach e Schalke, o 4º da Liga Espanhola, Valência ou o chato e complicado Stoke City, 9º classificado da Premier League e com vários jogadores de qualidade, numa aposta para lutar pelos lugares europeus em 2015/2016. Não, teríamos escolhido adversários mais fracos, grau de dificuldade baixo e depois fazíamos uma grande festa de campeões da pré-época, quando viessem os jogos a sério... corríamos o risco de ter grandes surpresas. E ninguém quer isso. Adiante.

Olhando para o actual plantel e com a consciência de até onde podemos ir, penso que a grande maioria dos portistas gostava de ter um central de referência, patrão, líder da defesa. OK, mas quem? Onde está ele? Vamos contratar um jovem, quando acabamos de dispensar um, Diego Reyes, porque precisava jogar e já temos Maicon, Marcano e Martins Indi, este titular da selecção holandesa?

Um médio que juntasse ao talento e génio, uma agressividade, intensidade e capacidade para marcar golos e assistir, um Deco, digo eu como exemplo para todos perceberem, seria bem-vindo. Mas quem? Lucas Lima? Disse faz agora um ano que Quintero podia ser esse jogador, mas o colombiano não correspondeu, tanto fez coisas do arco da velha como desaparece. No futebol actual, jogador que só joga com a bola no pé, sem bola não sabe estar, é incapaz de pressionar, fechar, ajudar, ou é muito bom e decide muitas vezes ou não tem lugar.

Um avançado e aqui, mais vale esperar e contratar bem que contratar alguém que não tenha o perfil pretendido.
Ainda estamos muito a tempo de preencher as carências do plantel. Se houver oportunidade... dentro das nossas possibilidades não deixaremos de o fazer. Agora, como sempre. Mas e para terminar, cuidado com algumas apreciações individuais. Há jogadores que rapidamente apanham a forma física, para quem os inícios de época não custam nada, há outros que demoram mais tempo. Também aqui é preciso ter calma, não ser precipitado, quem anda no futebol há muito tempo está farto de ver patinhos feios transformarem-se em lindos e desejados cisnes.

Ainda uma nota sobre o jogo de ontem, embora no post do jogo já tenha feito referência a isso, importa repetir:
Nos períodos em que jogas mal, não tens profundidade, largura, jogo interior, contundência no último terço, como foi a primeira-parte de ontem, se não deres abébias, estás empatado, podes marcar um golo e ganhar. Agora se ao mau jogo juntares erros primários... ficas muito mais próximo de perder. Gosto de ver uma equipa preocupada em sair a jogar, ter sempre essa preocupação, mas atenção, quando se está apertado e não se consegue, um chutão não fica mal a ninguém. Não podes é oferecer golos de bandeja, só porque a ideia é sair a jogar. Todos os jogadores têm de ter a inteligência de perceber quando podem e não podem construir. E isso aprende-se nos infantis. Também quando a equipa está a sair para o ataque, não podemos fazer passes laterais de risco, sob pena de um passe errado ter consequências graves como aconteceu ontem e tinha acontecido várias na época passada. Nesta altura, porque há cansaço acumulado e são jogos particulares, ainda se vai tolerando estas faltas de concentração, mas quando for a sério não pode ser, não podemos repetir erros.

Mike e Melga para desanuviar...
- Mike, segundo o panfleto da queimada - se o nosso patrão os trata assim... e como ele anda desorientado... o Jorge Mendes vai casar no Porto e não o convidou...-, o F.C.Porto para agradar a Alex Sandro deu-lhe a braçadeira de capitão.
- Melga, se para agradar ao Alex bastasse dar-lhe a braçadeira...

- Mike, depois do chumbo na Assembleia Geral da FPF do sorteio dos árbitros, achas que Vieira já pode vender Lima para o Al Ahli, mais Jonas para a China, Gaitan...?
- Melga, não sejas mauzinho, mas tem piada: nem Benfica nem Al Ahli disseram os valores da transferência do brasileiro, mas hoje já estava tudo certo e por 7 milhões. Só que, afinal, parece que os 7 são apenas 4.
- Mike, será que nem depois dos 15 de Ivan Cavaleiro, serem 3,5 em França, eles aprenderam?

É oficial, Nápoles é o adversário do F.C.Porto no jogo de apresentação. 
Vale mais um zum zum do DAM que as certezas do panfleto da queimada.


Borussia de Monchengladbach 2 - F.C.Porto 1. Melhor a segunda que a primeira-parte, numa derrota injusta. Mas quem oferece golos...


Na casa de um adversário que foi 3º classificado na Bundesliga, vai estar na Champions, e que tem a preparação mais adiantada, o F.C.Porto que entrou de início com Casillas, Ricardo, Maicon, Marcano e José Ángel, Danilo, Sérgio Oliveira, Evandro e André André, Tello e Aboubakar, foi durante a primeira-parte uma equipa lenta, cautelosa, preocupada em ter muita posse, mas para os lados e para trás, estéril, uma equipa sem profundidade e que raramente chegou com perigo à área do Borussia. Os alemães também não fizeram nada de especial, apenas aproveitaram dois erros grosseiros, primeiro de José Ángel que com tempo para tudo quis inventar à entrada da área, perdeu a bola, golo; o segundo, foi Tello que numa saída para o ataque, passou mal, contra-ataque, golo, com Casillas a parecer mal batido. E foi assim, sem que o conjunto da casa fosse superior, que o F.C.Porto chegou ao intervalo a perder por dois golos de diferença, resultado pesado, injusto, mas no futebol não se pode dar nada de barato.
Há atenuantes, muitos destes jogadores nunca jogaram juntos, não há conjunto, organização, ainda falta frescura e equipa cansada perde discernimento a pensar e a executar. OK, mas quando é assim, tens de estar concentrado, não dar abébias, se não consegues ficar em vantagem, pelo menos tens de estar empatado. Estes erros que aconteceram várias vezes na época passada, têm de acabar.

Para os segundos 45 minutos e de início, Lopetegui fez entrar Alex Sandro, Rúben Neves, Brahimi e Varela, para os lugares de José Ángel, Danilo, Evandro e Tello, mais tarde entrariam Maxi e Bueno para as saídas de Ricardo e Sérgio Oliveira, André Silva substituiu Aboubakar, depois Hernâni e Lichnovsky, nos lugares de André André e Maicon.
Entrando bem no jogo, os portistas reduziram logo aos 4 minutos por Aboubakar, após excelente jogada de Varela, foram superiores, só por uma vez estiveram em riscos de sofrer, Casillas salvou. Foi um Porto mais organizado, mais equilibrado, mais consistente e mais rápido, teve mais ataque até à saída de Aboubakar, merecia pelo menos o empate.

Resumindo: foi um bom jogo treino, permitiu detectar alguns defeitos que persistem e lacunas que têm de ser colmatadas. No primeiro caso, posse sim, mas para a frente e isso aconteceu na etapa complementar; continuamos a falhar passes em zonas que dão contra-ataques perigoso e a cometer erros de principiante. Urge contratar mais um ponta-de-lança, André Silva ainda tem algum caminho a percorrer; se sair Alex Sandro, José Ángel parece apostado em mostrar que não é alternativa válida.

Muito bem André André e excelente segunda-parte do Silvestre Varela, os meus destaques.

Para ler o artigo do Pedro Marques Lopes basta clicar na imagem...

Depois de Horst, Marienfeld. Sobe a exigência e aumenta o grau de dificuldade dos jogos


Depois do estágio de Horst e de dois jogos particulares frente a equipas do segundo escalão - Fortuna Sittard, vitória portista por 5-1 e Duisburg, nova vitória, por 2-0 -, e de uns dias a trabalhar no Olival, o F.C.Porto volta a estagiar, desta feita em Marienfeld, Alemanha. Em solo alemão os Dragões têm mais quatro jogos particulares, jogos esses onde sobe a exigência e aumenta o grau de dificuldade, nos embates com os alemães do Borussia Mönchengladbach, Schalke 04, os espanhóis do Valência e os ingleses do Stoke City, estes no Torneio de Colónia. São os últimos jogos antes da apresentação aos adeptos - depois de se ter falado nos italianos da Udinese, dos zum zuns que seria o Nápoles, hoje o panfleto da queimada fala do Inter. Esperemos pela confirmação oficial... -, importantes para dar condição física, afinar a máquina, corrigir defeitos, ver quem fica e quem sai, de forma que no dia 15, primeiro jogo oficial e frente ao Vitória S.C., o conjunto de Julen Lopetegui já esteja pronto para entrar no campeonato com o pé direito.

Viajaram:
Iker Casillas, Gudiño, Helton e Ricardo Nunes (g.r.); Aboubakar, Adrián López, Alex Sandro, André André, André Silva, Brahimi, Bueno, Danilo Pereira, Evandro, Hernâni, Lichnovsky, Imbula, José Ángel, Maicon, Marcano, Martins Indi, Maxi Pereira, Ricardo, Rúben Neves, Sérgio Oliveira, Tello e Varela. São 26 jogadores, sendo que quatro são guarda-redes. Faltam dois jogadores e meio para que o plantel fique fechado, segundo este treinador de bancada. Um ponta-de-lança como máxima prioridade; um médio interior que junte à magia de Quintero uma regularidade, intensidade e capacidade de jogar também sem bola que o colombiano não tem; um central se a oportunidade surgir e daí o dois e meio, Lichnovsky é sempre uma possíbilidade para o lugar do emprestado Diego Reyes. Depois, com a chegada de Herrera e se não houver surpresas de última hora, é só ajustar, sendo que André Silva pode estar na B e saltar para a A, idem para Gudiño e algumas, poucas, saídas, para que o plantel fique com 25 ou 26 jogadores.

Nesta altura e na definição dos plantéis, principalmente nos três grandes, há sempre excedentários... mas parece que só o F.C.Porto é notícia nesta matéria! Segundo o Mais Futebol, nos Dragões faltam colocar Rolando, Quiñones, Kayembé, Quintero, Gonçalo Paciência, Djalma, Braima Candé?!, Kadú e Tiago Rodrigues. Ora, se são apenas esses e a mais de um mês do fecho do mercado, é muito bom. Houve anos bem piores, não vejo qualquer motivo para se apresentar os excedentários do F.C.Porto como algo complicado, de difícil resolução.

Soltas:
O Marítimo do nosso "amigo Guardanapo", desalinhou com o Benfica e apoia Pedro Proença para presidente da Liga? Estou pasmo! O que se terá passado? Aceitam-se sugestões...
Ah, o lugar foi logo preenchido pelo Belenenses que também estagia no Seixal.

A TVE vai transmitir os jogos particulares do F.C.Porto. Se Portugal não fosse um país de gente mesquinha  e invejosa, isto mereceria um grande destaque... ou pelo menos o mesmo destaque que mereceu o facto do BBVA ter deixado de patrocinar Iker Casillas.

O Benfica anda pelos Estados Unidos, tem e bem, um enviado especial da RTP a acompanhá-lo. O Sporting está na África do Sul e não tem ninguém. O mesmo aconteceria com o F.C.Porto nas mesmas circunstâncias. Depois não gostam de ser tratados como o clube do regime...

Então o mais maior, melhor, grande clube do Universo, virou o Benfica dos pobrezinhos? Mas o que é isso, ó Fofa com U? E já agora, ainda não ultrapassaste o fetiche por Pinto da Costa?

Não tens nada que agradecer Jackson, estamos quites. 

Nico Gaitan e adeptos:
"Gaitán, não te vás embora! Fica!" "Querem que vá para onde?"
Talvez o amigo Lim dê um jeito, digo eu...

A verdade é como o azeite... apanha-se mais depressa um mentiroso que um coxo


Chegou ao futebol e como nem era preciso ser muito inteligente para perceber que se mandasse umas bocas contra o F.C.Porto, o seu Presidente ou dirigentes, era popularidade fácil; tal como tinha acontecido com outros, virava herói para o jornalismo rafeiro e não só, Bruno de Carvalho foi por esse caminho, disparou a torto e a direito, entre algumas piadas de péssimo gosto, disse que tinha sido insultado e maltratado pelo Administrador da SAD portista, Adelino Caldeira, meteu-lhe um processo em tribunal e exigiu um pedido de desculpas formais ao F.C.Porto. Como esse pedido de desculpas nunca surgiu, cortou relações institucionais com os Dragões. Soube-se hoje, ver, clicando na imagem do lado esquerdo, que não houve nada anormal no comportamento de Adelino Caldeira, o processo terminou com o Administrador da SAD do F.C.Porto a ser despronunciado, o que em termos jurídicos e citando o JN, é um termo mais vincado e forte que o arquivamento. Como diz o ditado: a verdade é como o azeite... ou apanha-se mais depressa um mentiroso que um coxo.

Agora vamos todos esperar sentados que, ponto um, seja dado o mesmo destaque a esta notícia que foi dado quando aconteceu o desentendimento. Ponto dois, que alguns cavalheiros, em particular o Dr.Cutty Sark e que na altura zurziram forte e feio em Adelino Caldeira, tenham a capacidade e humildade para pedir desculpas.
Adelino Caldeira pode estar bem mais magro, mas mantém as capacidades intactas. Portanto, tal como aconteceu em diversos casos no passado, quem se mete com ele... sai de fininho e caladinho, pela porta dos fundos.

Quanto áqueles que acham que há uma aliança F.C.Porto/Sporting, fiquem tranquilos, não há. Há apenas uma coincidência e que se pode resumir no seguinte:
Estão fartos da forma como o Conselho de Arbitragem é dirigido, sempre pró-Benfica, por Vítor Pereira.

O amigo de Alex:
- Olha quem ele é, o Alex Sandro. Que fazes por aqui, Alex? Algum problema de saúde?
- Não, apenas venho fazer uma transformação, dividir-me em quatro...
- Como?!
- É verdade! Uma parte de mim vai para o Real, outra para o Atletico, a terceira para a Juventus e a quarta para o Manchester City...
- E a renovação, Alex?
- Depois de estar dividido em tantas partes, ainda acha que o F.C.Porto me quer? É que não sobra nada...

Notas soltas:
"Estrelas na Broadwei", é a capa do panfleto da queimada de hoje. Quem é o rapaz que aparece na capa? É uma estrela de quê?


Só falam nos gastos, os proveitos passam-lhes ao lado


No panfleto da queimada - apenas a título de exemplo, já que o assunto é transversal na comunicação social -, alguns, com o Pastel de Belém e o Reco Reco anormal, à cabeça, ainda não conseguiram engolir o ingresso de Iker Casillas no F.C.Porto. Todos os dias, a pretexto seja do que for - agora foram as infelizes declarações de Mourinho, já arrasado em Espanha -, lá vem a conversa dos gastos portistas, mas nenhum faz um pequeno esforço para falar dos proveitos, o que prova a má-fé das análises. Não sei se os valores que o F.C.Porto já facturou são os 84 milhões de que fala o JN, porque apenas as transferências de Jackson, Danilo e recompra de Casemiro, tiveram comunicação oficial - o médio no Dragões Diário - e os 3 milhões de Kléber, as verbas recebidas por Carlos Eduardo, Quaresma, ou pelos empréstimos de Ghilas, Josué, Sami ou Diego Reyes - Quintero também vai ser emprestado -, não estão confirmadas ou são desconhecidas, mas sei que são superiores, muito superiores, às verbas que o F.C.Porto disponibilizou nos jogadores contratados. Imbula, André André, Sérgio Oliveira e Danilo Pereira, todos juntos, não chegam aos 30 milhões, Casillas, Maxi e Bueno não envolveram compra de passes. Claro que os encargos com pessoal, leia-se jogadores, já são altos, mas apesar de tudo, não creio que aumentem em 2015/2016.
Concluindo, o grande problema no futebol português, agora como de há muitos anos a esta parte, é uma comunicação social sem critério, sem ética, sem deontologia que não perdoa e há mais de 30 anos, que o F.C.Porto tenha quebrado o status quo vigente. E por isso analisa de forma vesga, tendenciosa, prostituída. Não veria dá nenhum mal ao universo azul e branco, se alguns Dragões não se deixassem perturbar e confundir por este jornalismo entre aspas.

Notas finais:
A propósito, na Bola-Branca, o ex-Magriço e antigo jogador do Benfica, José Augusto, falou do F.C.Porto e para dizer: "O F.C.Porto contratou Imbula para distrair as pessoas e abafar aquilo que há semanas surgiu nos jornais". Ora, como temos a obrigação de respeitar os idosos e a Bíblia diz: "bem-aventurados..." muitos anos de vida para o senhor José Augusto.

Na impossibilidade de convidarem Octávio Machado, agora no Sporting, o programa Bola-Branca da Renascença rapidamente meteu os pés ao caminho e agora temos Gaspar Ramos, vulgo, "Zarolho", a comentar assuntos relativos ao F.C.Porto. É a Bola-Branca na vanguarda do jornalismo de qualidade, isento e eticamente irrepreensível. Rapidamente a informação desportiva da Emissora Católica deixará para trás a informação da Cofina e voltará a liderar. Parabéns!

Se não houver um volte face em que o futebol é fértil, Quaresma vai para a Turquia, Besiktas. É, para mim, uma solução que agrada a todos. Desejo-lhe a melhor sorte e que seja feliz.

- Miguel Sousa Tavares, lê os jornais para não dizeres asneiras. Não leste  o que disse Imbula? Eu digo-te:
"Falei com o treinador [Julen Lopetegui] umas duas ou três vezes e ele convenceu-me a vir. Disse-me que as minhas qualidades são convenientes para o estilo de jogo do FC Porto"
Como é que este entendido pode dizer, vendo apenas 30 minutos de jogo de Imbula, que Danilo é muito melhor?
Para além de perceber pouco de bola, é um sorna, não faz o trabalho de casa e depois escreve coisas que contribuem para lançar a confusão e a especulação. Mais, que este cavalheiro não goste do Varela, OK, mas dizer que Varela cobrou mal o penalty frente ao Fortuna Sittard, é rasteiro, é desonesto, é má-fé!
Este artigo é uma vergonha, uma náusea!


É a azia, Maxi...


Tem sido um ver se te avias. Incapazes de disfarçarem a azia que lhes provocou a vinda de Maxi Pereira para o F.C.Porto, alguns benfiquistas conhecidos, por exemplo, Sílvio Cervan, o conhecido "Senador Pateta" ou Leonor Pinhão, a "Fofa com U", tentam passar a ideia que o internacional uruguaio veio para os Dragões gozar uma reforma dourada. No entanto, por mais que tentem passar essa imagem, tanto um como outro, sabem bem que não é assim. Sabem que Maxi vai ter no F.C.Porto o mesmo empenho, determinação, atitude e profissionalismo que teve no Benfica.
Fica registado para memória futura.

Também a política de contratações, agressiva e ousada do F.C.Porto, que e repito, não é de agora, parece que tem perturbado algumas mentes privilegiadas e até Mourinho deitou faladura. Claro que no caso do Zé, a isso não é alheio o odiozinho de estimação que tem pelo actual treinador do Sporting e pelo novo nº12 do F.C.Porto. Mas tanta demagogia e populismo, ó Zé? Fica-te mal...

Já o jornalismo entre aspas, tão preocupado com os gastos do F.C.Porto, nem sequer quer saber porque é que um jornal tão prestigiado como o L'Equipe diz que o Mónaco pagou 3,5 milhões por Ivan Cavaleiro, quando em Portugal, mesmo sem haver qualquer comunicação oficial do Benfica, dão como adquirido que o citado jogador foi vendido por 15 milhões. Até é contraditório, tendo o clube do regime um presidente com um toque de Midas e que facturou dezenas de milhões só em jovens, porque será que o Benfica tem de fazer esta "gestão de bom senso", utilizando a expressão do "Pastel de Belém"?

Nota final:
Quem estiver atento ao que tem dito dito e escrito sobre Alex Sandro, até poderá concluir que há um caso Alex Sandro. Ora, não há! Tudo se vai resolver, se é que já não se resolveu, a contento das duas partes. Dizia-se a mesma coisa de Danilo, mas ninguém aprendeu e continua-se a dizer asneiras. Os responsáveis do F.C.Porto não são infalíveis, mas alguém acredita que o F.C.Porto avançaria para estas contratações, com tudo o que isso envolve, sem cuidar de um activo tão importante como Alex?

 

MSV Duisburg 0 - F.C.Porto 2. Estamos no bom caminho



Nota de abertura:
O F.C.Porto concluiu ontem a compra do Porto Canal. Esperamos e torcemos todos para que a partir de agora as coisas comecem a mudar e tenhamos um canal ambicioso, corajoso, com qualidade, à imagem e semelhança do seu proprietário... sem esquecer também, o respeito pelo telespectador.

O F.C.Porto faz hoje o seu segundo treino frente aos alemães do MSV Duisburg, equipa que subiu na temporada passada à segunda Bundesliga. Há a expectativa de ver principalmente Casillas, Maxi, Imbula e Bueno, já que André André, Danilo e Sérgio Oliveira são suficientemente conhecidos. Sendo jogos necessários para dar condição física e ritmo e perder nem a feijões, a importância que lhes dou não é muita, tão pouco aos resultados obtidos. Primeiro, porque os jogadores estão cansados e jogadores cansados perdem capacidade de pensar e executar bem e depressa. Segundo, porque nestes jogos há muitas substituições, entra uma equipa de início e o jogo acaba quase com outra, é natural que não haja conjunto nem coesão, equilíbrios, organização. Finalmente, porque nesta minha longa caminha de portista militante já vi boas pré-épocas que culminaram em temporadas ganhadoras; já vi euforia na pré-época que terminou em desilusão; já vi pré-épocas que perspectivavam épocas desastrosas e terminaram em épocas para a história.

O jogo:
No segundo jogo particular, frente a uma equipa alemã agressiva, fechada e rápida a sair para o contra-ataque, o F.C.Porto entrou com Casillas, Maxi, Maicon, Marcano e José Ángel, Danilo e Imbula, Tello, Bueno e Varela, André Silva., numa espécie de 4x2x3x1. Foi um Porto naturalmente superior ao Duisburg, mas ainda perro, cansado, sem velocidade, facto a que não será alheio o treino na manhã do jogo. Na primeira-parte, com muita gente que em condições normais será titular, o conjunto de Lopetegui teve bons momentos, junto com algumas atrapalhações na rectaguarda, em particular na lateral-esquerda, podia ter marcado em duas boas oportunidades, talvez a vantagem mínima dos Dragões se justificasse, mas o empate também estava bem. Foram 45 minutos interessantes, não s epedia exigir muito em organização, pressão, velocidade a pensar e a executar.

Dos novos e aqueles em quem estavam todos os olhos, Casillas teve pouco que fazer; Maxi, para quem só chegou há três dias e fez três treinos, cumpriu; gostei da dupla de médios, Imbula já deu um cheirinho do que pode fazer, Danilo idem, Bueno teve boas deambulações, movimentos, aparece bem, mas tem de ser mais assertivo no último passe; André Silva, generoso, mas sempre pouco acompanhado, não teve grandes hipóteses de mostrar serviço.

Para a segunda-parte uma equipa nova: Helton, Ricardo, Lichnovsky, Martins Indi e Alex Sandro, André André, Evandro e Sérgio Oliveira, Hernâni, Aboubakar e Brahimi, Porto em 4x3x3 e melhor. Mais dinâmica, mais domínio, mais perigo, também porque houve mais espaço, dois golos - Brahimi após uma belíssima jogada e Hernâni a culminar um contra-ataque mortífero - e muito desperdício.
Nos segundos 45 minutos, dos novos, muito bem André André, em bom plano Sérgio Oliveira e o Brahimi do primeiro terço da época passada.
Resumindo:
Estamos no bom caminho...

Duas perguntas:
Algum significado na titularidade de José Ángel no lugar de Alex Sandro? A entrada de início de André Silva significa mais uma oportunidade para que o jovem ponta-de-lança posso ser uma opção no plantel principal para 2015/2016?

Nota final:
Ontem, Mitrovic é a nova loucura, 20 milhões de euros, do F.C.Porto. Hoje A.Mitrovic está a fazer exames médicos no Newcastle. Depois de Llorente, Dzeko. Quem vem a seguir? Benzema? Kun Aguero?

A casa vai sendo arrumada...


Nota:
A propósito das notícias sobre João Moutinho, Mitrovic, Rudiger, Lucas Lima e afins, aqui evita-se a todo o custo a especulação. É preferível ser ultrapassado pelos acontecimentos que criar ilusões ou falsas expectativas.

Uns a chegarem, outros a partirem, aos poucos o F.C.Porto arruma a casa, dos que não estão em Horst e importava resolver o futuro, só vejo Sami, Djalma e Rolando. Como ainda estamos no primeiro estágio e longe do fim da época de transferências, é um bom sinal. Se quisermos quatro centrais e Igor Lichnovsky ainda precisar de rodar, é provável que seja preciso contratar um central e com a saída, agora já definitivamente resolvida de Jackson, é importante contratar um ponta-de-lança. Como para o ataque a pressa é má conselheira e não pode ser um jogador qualquer, faz sentido ter a calma necessária para não falhar. Depois é esperar que até 31 de Agosto nos deixem sossegados e seja possível trabalhar com tranquilidade de forma que possamos iniciar bem uma temporada que vai ser muito exigente.

Se fosse o clube do regime a fazer estas contratações, era um sinal de vitalidade, de pujança, lembram-se de quando o horizonte era vermelho?, como é o F.C.Porto... é o caminhar para o abismo.

Como se pode ver na foto central e que retirei do Instagram do F.C.Porto, os jogadores jantaram todos juntos... mas quem fosse ontem site do panfleto da queimada até podia pensar que há grupinhos, a armada espanhola coloca-se à parte, não quer nada com os outros. Que o panfleto seja assim, não é de estranhar, que o JN de hoje vá pelo mesmo caminho... só confirma a minha teoria: o desporto no jornal nortenho? é feito apenas a partir de notícias copiadas dos jornais desportivos.

- Viva o jornalismo feito de açúcar, ovos e farinha. Viva!

- Pedro, desculpa lá colocar-te ao lado de João Vale e Azevedo...

- Copyright © Dragão até à morte. F.C.Porto, o melhor clube português- Edited by andreset