Populares Mês

Dar tempo ao tempo...


Não vi o jogo, mas como tese, posso sempre dizer: nestes jogos não devemos tirar conclusões, quer num sentido quer noutro. Já tivemos pré-épocas fantásticas que culminaram em temporadas negativas, já tivemos o contrário. O mesmo se aplica aos jogadores. A alguns torcemos o nariz e vieram a tornar-se belíssimas surpresas, outros prometeram muito e depois ficaram aquém das expectativas.

Por isso, repito, é preciso dar tempo ao tempo, os jogos particulares de pré-época não devem ser muito valorizados, sejam quais forem os resultados - obviamente, seja sempre melhor ganhar que perder.
Os jogadores estão cansados, as pernas pesam, é mais difícil pensar e executar rápido, as dinâmicas emperram. Estes jogos são importantes para dar condição física, ritmo, criar rotinas, automatismos, ver e corrigir defeitos, os que chegam a uma realidade completamente diferente se irem habituando, perceberem aquilo que os espera... Claro que o F.C.Porto, por força das circunstâncias - tem um mês de Agosto muito complicado com 3ª pré-eliminatória e possível play-off da Champions League que é fundamental ultrapassar para um futuro mais desanuviado, um clássico na Luz e que embora não decida nada, é sempre um jogo que queremos muito ganhar -, os Dragões tenham de começar desde já a definir uma equipa e a prepará-la para o que aí vem. O F.C.Porto derrotou os ingleses do Fulham por 1-0, marcou Otávio.

O nível dos programas Mais Transferências, TVI 24; e Mercado Aberto, SIC Notícias é tal que nem a BTV se atreve a tanto. Para fazerem elogios ao SLB, onde é tudo maravilhoso, mesmo que se paguem fortunas a jogadores para logo serem despachados, são capazes de dizer uma coisa hoje e amanhã o seu contrário, com a maior desfaçatez e cara de pau. Já sobre o F.C.Porto, nada se aproveita, é tudo desastroso, o que não é verdade, é um manifesto exagero. Mas no chiqueiro da queimada é a mesma coisa, Perin ainda nem chegou, já está a ser endeusado, como se fosse a última coca-cola do deserto. "É um gato na baliza".
Se já torcia para que Kevin Trapp viesse para o F.C.Porto, agora ainda vou torcer mais. Se é uma questão de gatos, se o alemão não é um gato na baliza, traz uma gata com ele.

Entretanto, o SLB, entre emprestados e "transferidos", tem jogadores espalhados por variadíssimos clubes da 1ª e 2ª Liga, com tudo o que isso significa na verdade desportiva e nas votações das Assembleias Gerais(AG) do organismo que gere o futebol profissional em Portugal.
Por exemplo:
Valerá a pena levar à AG uma proposta para acabar com essa escandalosa originalidade de haver um clube que no principal campeonato do futebol português, transmite, na era do VAR, os seus jogos em casa? Não me parece. Mas apesar de ser tão óbvio que há um clube com privilégios e que goza de uma impunidade que mais ninguém tem nem goza, parece que ninguém se importa com isto...

Zé Luís, Shoya Nakajima, Luis Díaz...


Zé Luís já é Dragão, já foi apresentado, assinou por 4 anos, não são conhecidos números oficiais sobre o custo - já ouvi e li 8,5 também 9,5 milhões de euros -, como não consta se há e de quanto é a cláusula de rescisão.
É, confesso, o culminar de um processo que quando se iniciou me apanhou de surpresa -  acho que não fui o único a ser surpreendido.... -, tinha-lhe perdido o rasto, não sei praticamente nada sobre ele. Também porque foge à contratação que é apanágio do F.C.Porto, jovem para potenciar, valorizar, transferir - já tem 28 anos. Mas como já é um dos nossos, só resta dar-lhe as boas-vindas, desejar-lhe boa sorte, esperar que tenha sucesso, ajude o F.C.Porto a atingir os objectivos.

Shoya Nakajima é jogador do F.C.Porto, contrato de 5 anos, 12 milhões de euros por 50% do passe, ficou com uma cláusula de 80 milhões.
Ao contrário de Saravia e Zé Luís, é um jogador que não conhecendo muito bem - praticamente só vi jogos frente ao F.C.Porto e pouco mais -, conheço o suficiente para dar um bitaite. É um jogador com qualidade, brilhou no Portimonense, mas não acho que tenha um perfil semelhante a Brahimi. O argelino é um jogador que estando bem é capaz de desmontar as defesas mais fechadas, desequilibrar, assistir, decidir. Nakajima é mais rápido, aparece bem a finalizar, mas precisa de espaço, na dupla função, atacar e defender, que se pede aos alas, são semelhantes. Para além disso, no F.C.Porto a responsabilidade, pressão, exigência é muito maior, em muitos jogos o espaço está congestionado, fica mais difícil a tarefa. Portanto, as expectativas estão muito altas, mas é a minha opinião, deviam baixar. Nakajima precisa de tempo e por isso, seria bom que os adeptos do F.C.Porto não exigissem desde logo ao japonês mundos e fundos, vissem nele o substituto de Brahimi, o que vai resolver. Se houver essa paciência e tolerância, o pequeno japonês pode ser importante, ajudar muito a equipa.

Luis Díaz é mais uma contratação do F.C.Porto - vai ser o nº7 -, assinou por cinco anos, não é conhecido quanto custou nem a cláusula de rescisão - mesmo não se sabendo os valores que o F.C.Porto vai pagar, como sempre acontece, alguns chiqueiros já começaram a tentar adivinhar e os números são, como quase sempre, extrapolados.   
Porque a necessidade aguça o engenho, já andei a pesquisar, vi coisas interessantes em vídeo, as informações são boas, mas, como sempre, é preciso dar-lhe tempo para se adaptar a um país diferente, um futebol mais exigente, esperar para ver.
Resta dar-lhe as boas-vindas, desejar-lhe boa-sorte e que na tradição do que aconteceu com Guarín, Falcao, James, Jackson, seja mais um colombiano a brilhar de Dragão ao peito.

Hoje é dia 10 de Julho, o Atletico de Madrid até já apresentou um defesa-esquerdo, o brasileiro Lodi e estou à espera desde o dia 2 de Abril que se confirme a notícia do chiqueiro da queimada, peça de António Casanova, "Alex Telles cinco anos no Atletico de Madrid".
Esta notícia dada à estampa ainda a época estava longe do fim, não é silly season onde a mentira descarada e a especulação abundam e na esmagadora maioria das notícias não são para levar a sério. Não, aquilo é má-fé, jornalismo de sarjeta e que o Casanova repete sistematicamente no seu anti-portismo primários e descarado. Este verdadeiro artista, chega rebos dos freteiros e cartilheiros que dirigem o chiqueiro da queimada, já há muito que devia ser colocado no seu lugar com uma queixa a quem de direito.

Como já os conheço há muitos anos era capaz de jurar que nada vindo daquela lixeira da manhã me surpreenderia. Mas, confesso, hoje eles surpreenderam-me. Inventar e mostrar um comunicado do F.C.Porto, falso, à CMVM, é o quê? Não consigo explicar. Mas sei que um órgão de comunicação social com estas práticas, em qualquer país que não Portugal, ia sofrer consequências gravíssimas. Mas neste cantinho à beira-mar plantado, é apenas só mais um episódio igual a tantos outros. E o pior, aquela lixeira é líder de audiências no cabo e que vende mais jornais... o que diz muito do país que somos.

Quem também já não surpreende são os do chiqueiro da queimada. A capa de hoje é um, mais um vómito, uma coisa surreal. Há quem venda o corpo e a alma ao diabo e tenha mais dignidade que a actual direcção do jornal.

Com a saída de João Félix e o abandono de  Jonas, o futebol português perde dois verdadeiros artistas na arte de se atirar para o chão sem que ninguém lhes toque. Vida mais facilitada para os árbitros.

- Jorge, aperta com isso.

- Mas ó Luís, não é cedo, tudo ainda está muito fresco, não dá muito nas vistas?

- Quero lá saber...

Última hora: Iván Marcano, quatro épocas no F.C.Porto.

É natural que tendo de lutar pela entrada na Champions League, fundamental para as aspirações desportivas e financeiras a curto prazo; pelos vistos não acreditando na capacidade de Mbemba e Osorio serem alternativas no imediato, idem para os Diogos; e mesmo sabendo há vários meses que Felipe e Militão estavam de saída, não conseguindo encontrar uma alternativa dentro do perfil ideal  -e de que falarei mais à frente -, considerada válida pelo treinador; o F.C.Porto aproveitasse a oportunidade para contratar Marcano. Fica, isso parece-me óbvio, com um jogador com qualidade, experiente e que não precisa de adaptação. Mas tendo o espanhol saído há um ano a custo zero; tendo 32 anos; e apesar de ter sido sempre um profissional correctíssimo, a dizer que o ciclo dele no F.C.Porto tinha terminado; recuperá-lo, pagando, não é uma contratação que vá de encontro a uma política desportiva que tanto sucesso teve no F.C.Porto e que levou o F.C.Porto a ser considerado um verdadeiro caso de estudo a nível mundial - contratar gente jovem com talento e potencial, moldá-la, valorizá-la, transferi-la com mais valias, como aconteceu, por exemplo, com Militão. 
Dito isto, desejo a melhor sorte para Marcano, espero que ajude o F.C.Porto na tarefa dificílima e importantíssima de entrar na fase de grupos da Champions League. Porque se o F.C.Porto não entrar na fase de grupos da prova rainha da UEFA, a situação vai ficar muito complicada...

Não, esta pré-epoca não é igual às outras. É a mais difícil e importante dos últimos 20 anos


Nota de abertura:
Como nunca fui cartilheiro, nem me deixo manipular e tenho cabecinha para pensar, não preciso de mentores. Muito menos através de alguns que se apresentam agora como Eméritos Dragões, a pretenderem dar-nos lições e ensinar-nos o caminho do portismo praticado e não apregoado. Porque, embora cavalheiros já com umas décadas de idade, apenas surgiram nos últimos anos, não conheço nada que tenham dito ou publicado, por exemplo, quando dos apitos e em particular em 2008, quando o F.C.Porto foi vítima de um dos mais vis e miseráveis ataques. E como do F.C.Porto sou apenas um sócio e adepto ferrenho, por mais que me tentem dizer que esta pré-época é mais uma igual a tantas outras, para mim, não é! É a mais difícil e importante dos últimos anos.
Repetindo-me, para evitar a décalage que o benfiquistão pretende, é fundamental estar na Champions. E se já seria difícil em condições normais, com um plantel em que transitasse da época passada sem grandes alterações no onze base, digamos assim, pior quando vão sair pelo menos 5 titulares, um dos quais, Yacine Brahimi é para mim, claro, daqueles que podem fazer a diferença, sozinhos decidir jogos. Para além disso, nunca o F.C.Porto passou por uma pré-eliminatória mais play-off, o que obriga a quatro jogos para chegar à fase de grupos da Champions League - disse-me o Paulo Teixeira que isto não é verdade, já tínhamos passado por pré-eliminatória e play-off em 2001/2002. É verdade, só que nessa altura defrontamos na pré-eliminatória os galeses do Barry Town. Os 8-0 nas Antas dizem tudo... agora já não existem adversários destes nas pré-eliminatórias... 
Nunca tive dúvidas que o F.C.Porto ia contratar, mas depois de contratar é preciso integrar na cidade, clube, métodos de trabalho, equipa. É preciso dar tempo ao tempo. Não é de um dia para o outro que se criam automatismos, se forma uma equipa coesa, equilibrada, consistente e que domine todos os processos de jogo, conjugue com critério as transições ofensivas e defensivas, pressione de forma organizada.
Sendo assim, só alguém sem sentido de responsabilidade pode encarar todas estas coisas de ânimo leve. E como o F.C.Porto para mim é coisa séria... fica registado. Porque quando a bola começar a rolar a sério, não estarei à espera que corra mal para bater, atirar contra tudo que mexe. Não, estarei aqui para apoiar como sempre fiz, embora e por razões pessoais, com menos frequência que num passado recente.

Ainda a propósito:
Ao contrário do que alguns menos esclarecidos possam pensar, Julen Lopetegui não tomou de assalto o banco do F.C.Porto, de metralhadora na mão obrigou os dirigentes portistas a contratarem os adriáns desta vida. Não, foi contratado para um projecto de três anos, deram-lhe condições que nunca outro treinador do F.C.Porto teve. Acho que até podia assinar cheques em nome do F.C.Porto... Apesar de tudo, Julen Lopetegui, TREINADOR DO F.C.PORTO, começou a ser atacado desde o 1 dia pelos mesmos de sempre, leia-se chiqueiros que se prostituem diariamente para servir os interesses do clube do regime. Ele era um treinador que só tinha treinado miúdos; ele era um treinador que nunca tinha estado na Champions; ele era a armada espanhola para a frente e para trás; ele era a torre nos campos de treinos do Olival... Mais, quando Lopetegui falava no andor benfiquista, aí, era, cala-te e joga à bola, não arranjes desculpas de mau pagador.
Nessa altura, aqui, porque Julen Lopetegui era treinador do F.C.Porto, defendia-se o treinador porque isso era defender o F.C.Porto, como sempre se fez com todos os que se sentaram na cadeira de sonho. Nessa altura por onde andavam portistas que agora vêm dar lições de portismo, tratar-nos como néscios incapazes de filtrar as campanhas de que o F.C.Porto é vítima? Pois, nessa altura, provavelmente, esses portistas juntavam-se ao coro dos chiqueiros e faziam  trocadilhos com o nome do espanhol maldito. Nessa altura não havia benfiquistão? A comunicação social era isenta, equilibrada, rigorosa, tratava o F.C.Porto com o respeito devido? Por onde andavam aqueles que agora se atrevem a atirar pedras aos outros?

Embora já se esperasse, mas só agora e porque Hector Herrera se despediu, é oficial: o mexicano e capitão do F.C.Porto sai a custo zero.
Já tinha dito AQUIAQUI o que penso, não vale a pena acrescentar mais nada. Melhor, esperar que estas coisas nunca mais voltem a acontecer. Por tudo, principalmente porque se tivesse sido vendido no último Verão e houve propostas interessantes, teria rendido alguns milhões de euros, também porque a braçadeira de capitão não se pode banalizar desta maneira... mesmo que Herrera tenha sido até ao último jogo um grande profissional.

Vamos lá ver...


Nem preciso dizer a importância que tem para o F.C.Porto a participação na Champions League.
Sendo assim e como esta época o F.C.Porto não tem entrada directa na prova rainha da UEFA, tem de ultrapassar uma pré-eliminatória e um play-off que se disputam durante o mês de Agosto; os trabalhos começam amanhã; e pelo menos 5 jogadores titulares e de qualidade mais que reconhecida não vão cá estar - Casilllas (embora por outras razões), Felipe, Militão, Herrera e Brahimi; e até ao momento só foi contratado um jogador - Enzo Saravia; são naturais e legítimas as preocupações que atravessam o universo portista. E assim, desde que feitas de boa-fé, com objectividade, de forma construtiva, respeito pela Instituição e por quem a serve profissionalmente, são compreensíveis e bem-vindas algumas críticas que se vão lendo e ouvindo. Nunca devem ser encaradas por alguns portistas mais papistas que o papa, como autênticos crimes de lesa F.C.Porto, como falta de memória ou ingratidão.





Também tu, Pedro?!


Pedro Proença, reeleito como presidente da Liga, no discurso no acto de posse, disse querer um futebol português a dar um salto para a excelência.

Pergunto:
Como pode haver uma futebol português de excelência se há um verdadeiro estado lampiânico, um clube que se acha no direito divino de ganhar sempre, aos outros só está destinado o papel de estender a passadeira e prestar vassalagem ao clube do regime?

Como pode haver um futebol português de excelência se há uma comunicação social castrada e de cócoras, sempre pronta a bajular, extrapolar ou omitir ao saber dos interesses do clube do regime?

Como pode haver um futebol português de excelência se há um clube que através de uma originalidade tipicamente tuga, na era do VAR, transmite os jogos em casa no seu canal de televisão?

Como pode haver um futebol português de excelência se há um clube que é o clube querido dos poderes políticos e judiciais, goza de uma impunidade sem paralelo?

Como pode haver um futebol português de excelência se no passado mais ou menos recente, era preciso acabar com a promiscuidade entre a política e o futebol e agora essa promiscuidade ultrapassa todos os limites, com a tribuna da Luz a parecer uma reunião do conselho de ministros e ninguém se importa?

Como pode haver um futebol português de excelência, se todos os pretextos servem para exaltar e glorificar o SLB, quem não o fizer sujeita-se a sofrer represálias, ser excomungado?

Como pode haver um futebol português de excelência, se a justiça desportiva, mas não só, toma decisões que são muito difíceis de perceber, quase sempre a favor do clube do regime?

Esta época é um exemplo paradigmático do que é o futebol português, dentro e fora das quatro linhas. Enquanto o F.C.Porto liderava e era apontado como vencedor, tudo era questionado, o clube do regime apregoava aos sete ventos que este era o campeonato mais sujo dos últimos anos, freteiros, recalheiros, cartilheiros e prostitutos da escrita e da palavra, faziam coro, pior, extrapolavam as queixas do SLB. Um bom exemplo e que foi exaltado até aos infinitos, de uma mentira muitas vezes repetida passar a ser verdade, foi que os árbitros estavam condicionados depois da invasão dos Super-Dragões ao centro de estágio da Maia.

Como diz um amigo meu e que tem o curioso nick name de traficante de pneus, estavam tão condicionados, tadinhos, que na 2ª volta do campeonato todos os pontos perdidos pelo F.C.Porto, 9 no total, foram com árbitros da Associação Futebol do Porto - 2 pontos em Guimarães, frente ao Vitória, árbitro Rui Costa; 2 em Moreira de Cónegos, frente ao Moreirense e 3 no Dragão com o Benfica, árbitro Jorge Sousa; e em Vila do Conde, contra o Rio Ave, 2 pontos, árbitro Artur Soares Dias. Se os árbitros estavam condicionados, cheios de medo, como se vê, não se notou muito...
A capa do chiqueiro da queimada que trago à colação, é um exemplo paradigmático do que é o futebol português. Quando um árbitro erra a favor do F.C.Porto, eles aí estão a apontar o dedo e crucificar o árbitro, mesmo que seja um dos melhores da história do futebol português. Quando um árbitro erra a favor do Benfica, já não se passa nada, errar é humano.

Já estou cansado destes discursos muito certinhos, na mesma linha dos do Secretário de Estado da Juventude e do Desporto e que não aquecem nem arrefecem, são apenas palavras de circunstância. É preciso coragem para ir ao cerne dos problemas, apontar na direcção correcta, apontar ao SLB e a este estado lampiânico de contornos mafiosos.

Facebookadas, twittadas e umas coisitas mais


Não surpreende ninguém que esteja minimamente atento ao que se passa no futebol português, a forma como a comunicação social trata as questões que envolvem o F.C.Porto ou os outros clubes, em particular o clube do regime e querido deles todos. Extrapolar ou branquear é a marca de uma comunicação completamente de cócoras e ao serviço do SLB.

No chamado caso dos e-mails e que são VERDADEIROS!, cai o Carmo e a Trindade porque dois não foram citados ipsis verbis, mas alguns que são altamente comprometedores e com indícios claros, nítidos de práticas criminosas e de contornos mafiosos, aí não se passa nada, há sempre um detergente pronto a ser utilizado - é preciso recordar aos freteiros, recadeiros e prostitutos ao serviço do SLB, que no caso dos e-mails e que está a ser investigado pelo Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa, o Ministério Público pediu mais tempo devido à complexidade do caso e, cito, estamos perante actividade criminosa e que se insere num esquema altamente organizado.


Se por falta falta de conhecimento não vou comentar o acórdão em que, simplifiquemos, o F.C.Porto foi parcialmente condenado e se os recursos não tiverem provimento, vai ter de pagar cerca de 2 milhões de euros, pergunto: é normal que os juízes marquem conferências de imprensa para explicar, mesmo que de forma sucinta, as decisões que tomam? Ou será que estes protagonismos são apenas privilégios destinados ao F.C.Porto? Recordo que quando do Apito Final também tivemos uma conferência de imprensa onde o justiceiro de serviço, Ricardo Costa, às custas do F.C.Porto teve protagonismo de horas.

E que dizer da reacção oficial do F.C.Porto? Um comunicado que pouco diz, uns twittes do director de comunicação e uma entrevista a um advogado do F.C.Porto, no Porto Canal, que primou por um amadorismo confrangedor. Isto é, eles vêm para cima de nós com artilharia pesada, nós praticamente nem reagimos e quando reagimos é com armas que nem cócegas fazem.
A propósito: enquanto os canais de notícias comentavam a decisão, salvo raras excepções da forma sectária, tendenciosa e anti-portista que os caracteriza, o Porto Canal tinha no ar um programa de entretenimento. Será que tem valido a pena o F.C.Porto não ter um canal de clube como os que têm Benfica e Sporting, por exemplo? Será que há estudos que provem que o F.C.Porto tem tido retorno no facto de ter um canal diferente? Influência política? Nenhuma. Alternativas de uma programação diferente? Apenas um ou outro programa e já vêm de longe. E no desporto, tirando as transmissões dos jogos e um ou outro programa, também não se vê nada de especial. Se as vantagens não são quase nenhumas, porque não um canal exclusivamente de desporto?

Por isso, já disse, mas pela importância, vou repetir:
Estamos agora muito pior que estávamos quando Pinto da Costa chegou à liderança do F.C.Porto. Sabemos todos quanto foi preciso trabalhar, lutar, para equilibrar e não dominar como diz a má-língua. Seremos capazes de o fazer agora? Não sei. Mas sei que se não atenuarmos este déficit, se não formos novamente um clube que junta a competência da gestão desportiva ao espírito guerreiro que nos caracteriza, a liderança não voltar a ser forte, determinada, mobilizadora, capaz de enfrentar todos os poderes, estamos sujeitos a vê-los passar por mais alguns anos...
Tem a palavra quem dirige o clube/SAD. As tropas, está à vista de todos, estão prontas.


Quando dizemos que isto ultrapassa todos os limites, que nem no tempo da outra senhora estas coisas aconteciam, há quem ache que exageramos ou que é inveja. Não, não é, é o direito que temos de nos indignarmos ao ver estas poucas vergonhas que se repetem no canal público...


Sobre Enzo Saravia, como não conheço, limito-me a esperar que seja o homem certo, dar-lhes as boas-vindas e desejar-lhe muito sorte de Dragão ao peito.


Estranho, Miguel Sousa Tavares? Não, não é estranho, é o benfiquistão em todo o seu esplendor. Porque será que Berardo é arrasado todos os dias e Vieira passa pelos pingos da chuva sem se molhar?

Super Brazzado, o vendedor de banha da cobra dos tempos modernos
Clicar nas imagens para ler

Jorge Sousa, árbitro do ano, é um sinal claro que o Benfica manda... mesmo!


Se a isso juntarmos o 2º lugar de João Pinheiro e pasme-se, o 3º lugar de Rui Costa, bem como as excelentes classificações dos priores Nuno Almeida, Tiago Martins, Luís Godinho e Manuel Mota, sem esquecer a despromoção de João Capela - outrora um árbitro querido, até fetiche, mas actualmente caído em desgraça na Luz -, só podemos concluir que os sinais de que o Benfica volta a mandar, a ter os padres que escolheu e ordenou, nas missas que celebrou, são muito claros. Outro sinal é o 6º lugar de Artur Soares Dias.
No passado recente um ex-árbitro internacional e agora comentador de arbitragem, porque tomou decisões que não agradaram ao SLB, foi despromovido, não lhe adiantou nada ir junto de Vieira perguntar, porquê. Este verdadeiro artista de Lordelo/Paredes, que nas últimas épocas tem prejudicado sempre o F.C.Porto, com os escândalos em alguns jogos a ultrapassarem todos os limites e indiciarem uma desfaçatez própria de alguém sem pudor e vergonha na cara, foi o árbitro do ano.
É o cúmulo da pouca vergonha.

Tinham de ser, só podiam ser pioneiros. Cuidado, muito cuidado...

Notícia chiqueiro da queimada:
"O avançado da Suiça, Seferovic, foi assobiado no Dragão".
Pára tudo... como é possível uma maldade dessas? Que falta de fair-play, onde é que já se viu uma coisa assim?
Claro que o chiqueiro só coloca estas notícias em nome da paz e tranquilidade no futebol, não é freteiro com calo no cu como o macaco, Delgado?

Havia muito para dizer sobre João Félix, mas nem vale a pena... assim, limito-me a dizer que ainda bem que o ridículo não mata.

GLÓRIA FINAL A 66% NAS MODALIDADES! O sucesso chegou para quem realmente fez por isso! Parabéns ao nosso andebol e hóquei!!! , por Pedro Pinto

“I don´t know if it´s basketball or handball we played today…” (Magnus Andersson) 

E eis que a época das nossas modalidades terminou em beleza, com a conquista da Taça de Portugal pelo nosso “porta-estandarte” andebol, conseguindo finalmente a inédita e desejada dobradinha que, a juntar à excelente prestação europeia na EHF Cup, com um honroso bronze, acaba por coroar talvez a mais espectacular temporada de andebol do nosso clube, muito graças ao trabalho de um treinador, esse sim, À PORTO!!! – Magnus Andersson. Obviamente que todo o grupo teve um enorme mérito neste sucesso sem precedentes mas foi o treinador, com a sua mentalidade ganhadora e extremo profissionalismo, o factor X para esta época notável do FCP Sofarma! Orgulho imenso neste grupo!!!
Também o hóquei se portou lindamente, conseguindo estar em todas as decisões até à última, não obstante a enorme frustração de perder mais uma Liga Europeia (já se torna penoso falar disto…) e de ter sido eliminado da Taça de Portugal num jogo muitíssimo ingrato e com uma arbitragem deplorável (as arbitragens nas modalidades são extremamente hostis ao FCP e era bom q o clube tomasse algumas providências quanto a este assunto…). Ainda assim, conseguimos ser campeões nacionais, ganhando aquele que foi, na minha opinião, o melhor e mais difícil campeonato da história em Portugal! Por isso, muitos parabéns ao grupo do nosso hóquei, com especial dedicatória a Guillem Cabestany, sobretudo por saber segurar a equipa em vários momentos de revolta interior e de saber que tudo tentaram para nos derrubar… mas não chegou! Pois fomos melhores do que todos os outros e o troféu é nosso!!! Finalmente o basket…e aqui tenho de expressar a minha completa desilusão com a secção, sobretudo depois de constatar que a enorme melhoria que se verificou a meio da época (que tinha começado de forma assustadoramente fraca!) desapareceu por completo, ao ponto de nem sequer termos conseguido ser minimamente competitivos nestas meias-finais com o slb! Aquela aura especial que se ia vendo no andebol e no hóquei…nunca esteve presente no basket, talvez fruto de uma época muito mal planeada e em que…talvez nem todos tenham remado para o mesmo lado…Foi pena! Podia estar aqui a falar da TRIlogia das nossas
modalidades mas…não deu!

Andebol:
Vitória suada na Taça de Portugal! Após ter vencido no Sábado o Póvoa Andebol, da 2ª Liga, na meia-final, num jogo algo displicente, o FC Porto Sofarma derrotou ontem o Águas Santas por 31-30, num jogo electrizante em que acabámos por acusar o natural desgaste físico e mental de uma época longa e de sucesso mas também de uma arbitragem (mais uma!!!) tendenciosa e que custa muito a digerir, pois raros foram os momentos em que tivemos os 7 jogadores em campo, tantas foram as exclusões à nossa equipa, isto a juntar aos 10(!!!) livres de 7m marcados contra nós, num esforço contínuo por nos derrubar a todo custo e que só um remate certeiro de Fábio Magalhães, a 3s do final, nos trouxe a justiça e soltar um grito de revolta por termos SEMPRE de muito melhores que os outros para ganhar neste país!!!
O Porto entrou bem no jogo, mandão e eficaz, chegando ao intervalo a ganhar por 18-11. No entanto, a segunda parte não foi boa, fruto de uma excelente resposta do Águas Santas, a 4ª melhor equipa portuguesa mas também…da dupla maravilha de arbitragem, que conseguiu enervar todo o nosso grupo com decisões completamente absurdas mas que não foram suficientes para nos tirar o troféu!
Mais uma vez deixo os meus parabéns ao nosso andebol mas também uma palavra de apreço ao Águas Santas que não se rebaixa perante ninguém (um exemplo para outros clubes de outras modalidades…).
Esta época terminou, julgo que a maior parte do plantel irá continuar, bem como a equipa técnica, havendo espaço para um ou outro reforço de qualidade, até porque para o ano estaremos na EHF Champions League, a melhor competição de andebol do mundo, e seguramente iremos querer fazer ainda melhor do que fizemos esta época. Temos o homem certo para isso! Portanto, muita expectativa pelos próximos tempos! Grande andebol do FCP!!!
Notícia e resumo

Basket:
Muita coisa para reflectir nesta secção, muita coisa para reavaliar, pois quanto a mim, não considero tolerável a prestação deste grupo nos últimos anos! Não reflectem de todo a nossa história nem a nossa postura competitiva!
Será necessária uma nova direcção…uma nova equipa técnica, novos jogadores e…um patrocinador dava um certo jeito, pois se assim não for, começo a ter dificuldade em perceber a continuidade desta modalidade no clube…Ou é para ganhar ou não vale a pena (Basta ver o projecto da Oliveirense!).
Espero sinceramente que haja um esforço sério da secção de basket em superar este status quo da modalidade, para que possamos voltar ao nosso normal que é: ganhar!
O FC Porto precisa das 3 modalidades fortes e competitivas! Precisa de ser uma autêntica família a partilhar sucesso no nosso Dragão Caixa. Precisamos de um Caixa sempre cheio, puxado pela ambição das nossas modalidades! O andebol está no bom caminho, o hóquei vai passar por uma fase de afinação mas julgo que continuará forte…e o basket terá mesmo de acompanhar esta onda, pois não nos podemos dar ao luxo de ter um elo fraco num país centralista e vermelho/verde!

Hóquei em Patins:
Época terminada em beleza no hóquei, com a conquista merecidíssima do campeonato nacional! Após mais uma desilusão europeia (a enésima…) a equipa não tremeu e conseguiu o tão almejado título, fruto de um treinador ambicioso e trabalhador que, com um pouco mais de sorte, poderia ter já 2/3 Ligas Europeias no currículo! As coisas são o que são e para a frente é o caminho! Agora vamos ter várias saídas no plantel (Hélder Nunes, Telmo Pinto, Nélson Filipe e Carles Grau)…vamos ver quem virá, sabendo que os 3 principais rivais estão e vão ficar ainda mais reforçados, o que a juntar ás arbitragens hostis ao nosso clube, tornarão a próxima época ainda mais difícil, quer a nível nacional ou internacional! Muita expectativa também no hóquei para ver como nos vamos reforçar perante este cenário!
Um abraço a todos! Pedro Pinto

Não aos produtos de contrafacção


Actualmente qualquer miúdo que faça um ou outro brilharete é logo promovido à condição de estrela e pretendido por meio mundo. Se for do SLB e em particular no chiqueiro da queimada, então o exagero atinge os limites do absurdo. Depois, confrontados com a realidade, como se viu no mundial sub-20, mesmo frente a jovens da mesma idade, não só não fazem a diferença como nem sequer se conseguem evidenciar. Gedson e Florentino, são dois bons exemplos do que acabei de dizer.
Ainda têm de comer muita broa, mas já são idolatrados como se fossem grandes estrelas, pretendidos por grandes equipas. A culpa não é deles, a culpa é deste jornalismo entre aspas, deste comércio de papel, dos vendedores de banha da cobra que apresentam produtos de contrafacção como se fossem legítimos e realidades absolutas.
O futebol português só teria a ganhar se a exigência fosse mais criteriosa, mais selectiva e verdadeira, menos dependente dos interesses dos clubes, empresários e jornais sem ética, onde o que importa é vender papel.

Mike e Melga
- Melga, o Benfica demarcou-se dos insultos proferidos na BTV, durante o relato do jogo com o FC Porto, para a Allianz Cup, em Janeiro. O jornalista Valdemar Duarte utilizou, na altura, a expressão "a corja do FC Porto", apelidou Felipe, Pepe e Alex Telles de "bandidos" e referiu que "chamar cão a Luís Gonçalves é ofender a raça canina".
Como se lê no acórdão do Conselho de Disciplina da FPF, durante o processo o Benfica recusou qualquer responsabilidade, sublinhando "que não se revê nas mesmas" e rejeitando-as "liminarmente".
- E colocou o troglodita na rua, Mike?
- Não, claro que não, estás tolo?

- Melga, uma multidão fez uma espera à porta do hotel onde a selecção se concentrou, assobiou e insultou o João Félix, também conhecido por novo Messi... Isso não se faz e portanto justifica-se plenamente todo o alarido que já vai por aí.
- Mas ó Mike, estás a gozar comigo ou quê? Eram muito poucos, a maioria crianças e que estavam à procura de autógrafos e houve uns assobios e alguém lhe disse, "Lampião, vai mas é para o teu clube" - citei o Vara de Vinhais, que não é Armando, é Carlos. Quantas vezes jogadores do F.C.Porto que estavam ao serviço das selecções foram insultados e assobiados, mesmo em pleno jogo e nunca se passou e agora faz-se tanto alarido por esta coisa de nada? Nem a propósito e vai de encontro do que o nosso chefe diz em cima, é por estas paneleirices, estes endeusamentos prematuros, que depois alguns jogadores saem e são autênticos flops nos clubes que os contrataram. Não aprenderam nada com a história do Renato Sanches.
- Mike, disseste Carlos Vara, de Vinhais? Ah, está explicado... Vinhais, fumeiro, chouriços... foi a chamada peça para encher chouriços...

- Mike, que achas do Secretário de Estado da Juventude e Desporto ter comentado os insultos a João Félix?
- Melga, cito o Facebook do Porto Universal:
Comentar assassinatos de adeptos? Pilhagens variadas? Perseguições a polícias? Danos materiais enormes? Perseguições a mulheres, velhos e crianças? Urina sobre adeptos adversários? Confrontos com adeptos internacionais?
De maneira alguma!
Sobre o menino mimado querido? Claro!
- Enfim, daquela cabecinha pensadora só saem banalidades...

O Portugalex entrevistou o homem do momento... Bruno Lage - aqui

- Copyright © Dragão até à morte. F.C.Porto, o melhor clube português- Edited by andreset