segunda-feira, 1 de Setembro de 2014

Eles não escondem o nervosismo


Pausa para compromissos com as selecções, hora do primeiro balanço, que só pode ser positivo. Lideramos em conjunto com o Vitória S.C. - mais logo ver-se-há se o Rio Ave também se chega ao duo da frente -, conseguimos o primeiro grande objectivo da temporada, a entrada na fase de grupos da Champions League, fundamental para o F.C.Porto, nem preciso de voltar a repetir porquê. Em 5 jogos oficiais, temos 5 vitórias, 9 golos marcados e nenhum sofrido. Temos um plantel que dá garantias, um treinador que mostra competência, lidera, tem discurso, no banco tem tomado as decisões certas. A equipa ainda não está no ponto, mas se não tem sido brilhante, é unida, coesa, solidária, trabalha e luta muito, não pode ser acusada de nada. É um Porto que promete, é um Porto que assusta os seus adversários e os seus peões de brega, que é como quem diz, os freteiros e recadeiros da nossa praça. E é vê-los mudando de polémica como quem muda de camisa, sempre à procura de um qualquer pretexto para atacar, mesmo que isso signifique que a verdade de ontem seja a mentira de hoje - armada espanhola; treinador que nunca trabalhou em clubes; torre no Olival; treinador inexperiente em termos de Champions; Quaresma no banco e a entrar a 5 minutos do fim; Quaresma não convocado; Quaresma a aquecer 45 minutos e não entrar; Quaresma deixa de ser capitão; Adrián um flop caro; ainda não houve Ópera; treinador muito senhor do seu nariz...
O Dragão está de volta e eles já perceberam. Só não percebo porque estão surpreendidos... mas isso são contas de outro rosário, também há portistas que não escondem a surpresa. Alguns ainda não saíram da toca. Devem estar à espera do primeiro resultado negativo para aparecerem.

Notas finais:
O F.C.Porto conseguiu ontem a vitória mais gorda em jogos frente ao Moreirense disputados no Estádio do Dragão: 3-0 e um penalty falhado. Nos jogos anteriores, incluindo o memorável ano de 2004 e com Mourinho ao leme, as vitórias frente à equipa de Moreira de Cónegos tinham sido sempre pela diferença mínima. O panfleto da queimada, pela pena do porquinho de brega, fala em bocejo. Não notei, eu e a malta que estava à minha volta, estivemos sempre a ferver, em brasa, que é uma expressão muito portuguesa e própria da época que atravessamos.
- Serpa, porquinho de brega e afins, está a doer muito? Está, mas vocês aguentam. Ai aguentam, aguentam.

O F.C.Porto entregou a braçadeira de capitão a Ricardo Quaresma. Ele mostrou que não tem perfil para ser capitão, o capitão passou a ser Jackson Martínez. Como diz Lopetegui: ponto final, parágrafo.

E por falar em Jackson, tal como sempre disse, o ponta-de-lança colombiano fica no F.C.Porto. 

Há uma expressão que frequentemente se usa no futebol quando as exibições não são famosas: o resultado foi melhor que a exibição. Ainda hoje um amigo meu me disse a mesma coisa acerca do jogo de ontem frente ao Moreirense. Quando eu lhe perguntei, mas a vitória não foi justíssima? Não fomos a melhor equipa em campo e a única que fez tudo para ganhar? Lá respondeu afirmativamente. Então essa expressão só faria sentido se tivessemos ganho injustamente, o que não foi o caso, não é verdade? Ficou a coçar a cabeça...

Ponto da situação do mercado F.C.Porto, quando são 22 horas:
Entradas: Otávio certo, José Campaña, falado. 
Saídas: Sami para o Braga, Kléber para o Estoril, Kelvin para a Académica, Ghilas para o Córdoba, Carlos Eduardo para o Nice, Rolando parece que não quer ir para lado nenhum...

23 horas, tudo indica que com a contratação certa de José Campaña - empréstimo de 1 ano, dizem - e a inscrição na Liga, de Rolando, fechamos a loja.

domingo, 31 de Agosto de 2014

F.C.Porto 3 - Moreirense F.C. O autocarro tanto abanou que caiu com estrondo


Encerrou hoje o primeiro ciclo de jogos, um ciclo de 15 dias e que o F.C.Porto encerrou totalmente vitorioso, com 5 jogos, 5 vitórias, 9 golos marcados e 0 sofridos. Sendo que 2 desses jogos eram importantíssimos, para o play-off da Champions, com tudo que a prova rainha da UEFA significa para os Dragões, não se podia pedir mais à equipa de Julen Lopetegui. 
Hoje foi difícil, foi preciso trabalhar e lutar muito, mas vencemos com um mérito que ninguém ousará contestar, como também ninguém colocará em causa a justiça das vitórias portistas nos jogos anteriores. Foram todos, limpinhos, limpinhos...

Entramos lentos, precipitados, sem dinâmica, não conseguimos ter bola e assim facilitamos o trabalho do Moreirense. A equipa de Miguel Leal durante toda a primeira-parte, mesmo não criando nenhuma oportunidade de golo, foi capaz de se manter organizada e como o F.C.Porto demorou a acordar e raramente acelerou, bastou à equipa minhota recuar, fechar os espaços e com todos atrás conseguir levar a água ao seu moinho, chegar ao intervalo empatada. Empate que se ajustava e penalizava a incapacidade do F.C.Porto para pensar e executar rápido, pressionar, escolher os melhores caminhos para desmontar a boa organização do adversário. Muito domínio da equipa portista, é verdade, mas pouca contundência,  pouca intensidade, pouca inspiração.

Na segunda-parte a equipa de Lopetegui entrou melhor, mais rápida com bola e sobre a bola, o Moreirense foi recuando, jogo disputava-se com 21 jogadores no ultimo terço do campo, o autocarro abanava, mas não caía. E não caía muito porque o trabalhador que tinha a missão de iniciar o processo de  ataque ao autocarro, estava lento, claramente cansado, gaguejava. Era preciso fazer alguma coisa. O mestre estava atento, viu bem, fez entrar o seu trabalhador mais novo, um jovem de apenas 17 anos, mas cheio de recursos. O miúdo pegou na ferramenta, indicou o caminho, disse como se devia fazer para que resolver o problema. Depois foi um ver se te avias e o autocarro caiu com estrondo. Só não foi direitinho para a sucata
porque os competentes obreiros de azul e branco vestidos, foram perdulários e já tinham cumprido e bem a sua função.

Notas finais:
Uma palavra apenas para o estreante Josè Angel. Uma primeira-parte a apalpar terreno, esteve ao nível da equipa, isto é pouco feliz. Nos segundos 45 minutos, soltou-se, esteve muito bem, seguro a defender, rápido e criterioso a subir e a criar desequlíbrios. Deu mostras de ser uma boa alternativa a Alex Sandro. O brasileiro não vai poder adormecer.

Ridículo o tempo de desconto dado por Bruno Esteves na primeira-parte. Um claro convite ao anti-jogo.

Mais dois golos de Jackson, um jogador intransferível...

Pena, muita pena se o outro miúdo maravilha ficar de fora por muito tempo. Nem preciso de dizer o nome, pois não?

Por hoje ficamos por aqui. Amanhã vai ser um longo dia...

sábado, 30 de Agosto de 2014

F.C.Porto - Moreirense F.C. Conseguir o pleno


Depois de ter cumprido com competência o primeiro objectivo da época, entrar na fase de grupos da Champions League e antes da primeira paragem para compromissos com as selecções - atrapalha quem precisa de cimentar tanta coisa, mas é a vida, é consequência de termos muitos e bons jogadores -, o F.C.Porto recebe o novo primodivisionário, Moreirense F.C. A equipa de Moreira de Cónegos está a fazer um início de campeonato muito razoável - ganhou na Madeira ao Nacional e empatou em casa com o Braga -, mas será uma grande surpresa se vier ao Dragão jogar o jogo pelo jogo. Não creio e com  a equipa minhota apostada em defender com todos e depois aproveitar uma ou outra oportunidade para contra-atacar, O F.C.Porto vai certamente ser uma equipa diferente daquela que foi contra o Lille. A posse a pressão vão lá estar, a organização defensiva que tem funcionado bem, também, mas vai seguramente ser um Porto com mais atacantes - nas alas estarão alas e não médios a jogar nas alas -, mais contundência no ataque, um Porto a correr mais riscos, um Porto a aquecer o jogo e não a arrefecer o jogo, como aconteceu na terça-feira - aí porque isso lhe dava jeito.
Estamos a gerar muitas expectativas, acredito que vai ser outra enchente, temos tudo para conseguir o pleno e todos abordarem esta paragem com o claro sentimento do dever cumprido.

O árbitro é Bruno Esteves, auxiliado por Rui Teixeira e Mário Dionísio

Convocados do F.C.Porto:
Guarda-redes, Fabiano e Andréz Fernández;
Defesas, Danilo, Maicon, Martins Indi, Marcano e Josè Angel;
Médios, Evandro, Casemiro, Rúben Neves, Herrera, Óliver Torres e Brahimi;
Avançados, Quaresma, Jackson, Ricardo, Quintero e Adrián López

Equipa provável:
Fabiano, Danilo, Maicon, Martins Indi(Marcano) Josè Angel(Martins Indi), Casemiro, Herrera e Evandro, Adrián, Jackson e Brahimi(Quaresma).

Antevisão de Lopetegui

Paulo Teixeira Pinto

Notas finais:
Chegar à meia-noite de segunda-feira sem ninguém por colocar e com o plantel completo, um plantel que tenha qualidade e quantidade para uma época à altura dos pergaminhos do melhor clube português, não é um desafio fácil, há que ter bom senso, saber gerir sensibilidades, expectativas defraudadas. Acredito que, com mais ou menos dificuldades, vamos conseguir as duas coisas.

Nuno Espírito Santo falou em bomba para o Valência e eles sonham com a saída de Jackson do F.C.Porto para ingressar no clube espanhol. Ficam tão entusiasmados que metem os pés pelas mãos, falam em cláusula de 35 milhões, quando neste momento não há cláusula, os 35 milhões são a partir de 15 de Julho do próximo ano. Enfim, não percam tempo, mudem a agulha, neste momento, Jackson é...intransferível!
- Nuno, queres um ponta-de-lança colombiano? Olha, vira-te para o Teófilo Gutiérrez.

sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Sprint final


Estamos quase a chegar ao fecho do mercado de transferências e ainda há situações que não estão definidas no F.C.Porto. Tiago Rodrigues, Quiño, Kléber, Rolando e Ghilas, sem esquecer a possibilidade os três que estando a treinar com o plantel, ainda não foram utilizados em jogos oficiais e que parecem não fazer parte das opções de Lopetegui, para esta época, Sami, Carlos Eduardo e Kelvin. Nas entradas, acredito que Clasie era o preferido para fechar o plantel. Mas com o médio internacional holandês do Feyenoord a ter tudo bem encaminhado para renovar pelo seu actual clube, penso que a situação fica muito mais difícil, Clasie deve ser uma carta fora do baralho, mesmo que no futebol, muitas vezes, o que parece não é. Há plano B? Ou ficamos assim e será recuperado um dos que em princípio não contava? Dizem que há plano B e até C e pelas afirmações de Lopetegui na antevisão do jogo do próximo domingo... se não for Clasie será outro. Quem? Não sei. Quem sabe um dos já anteriormente falados? Temos de sprintar, o tempo urge. Também temos de sprintar para colocar os jogadores já citados anteriormente, aqueles que de certeza não farão parte do grupo que vai enfrentar a época 2014/2015, a época que desejamos, seja a do resgate. Já falta pouco para sabermos tudo.
 
Deixem crescer os miúdos.
Todos os miúdos querem ser Cristiano Ronaldo, é natural, mas compete aos pais ter equilíbrio, sensatez, bom senso.
Vem isto a propósito do que podem ver aqui. Não conheço o miúdo, nem interessa para o caso, acredito que tenha muito talento. Mas nestas idades é prematuro já estar a pensar em carreiras como futebolista. Nestas idades os miúdos têm de estudar, brincar, crescer naturalmente, de preferência junto da família, dos amigos, no seu habitat natural. Ir para outro país, com outra cultura, outra língua, num ambiente completamente estranho, pode ser pernicioso, obstar a que a evolução seja normal, nas duas vertentes. O Gonçalo Santos está no F.C.Porto - como podia estar no Benfica ou no Sporting...-, mas como pelos vistos o F.C.Porto, um clube de referência no futebol europeu, com gente preparada para encaminhar e aconselhar pais e miúdos, já é pouco e como o jovem Gazuza Jr. é pretendido por Liverpool e Manchester United, os pais sentiram necessidade de recorrer a um empresário para os ajudar. O empresário deve ser bom - conseguiu uma página na Bola, facto que deve ser realçado, num jornal que raramente dá aos Dragões o que espaço que merecem -, mas resta saber se tanta badalação, em idade tão precoce, não vai fazer mal ao Gonçalo. Já vi, nesta já longa vivência no futebol, miúdos que podiam ter feito outras carreiras e não fizeram, porque os pais quiseram dar passos maiores que a perna. Pela precipitação, ia dizer ganância, dos dos pais. Espero que não seja o caso.

Julen Lopetegui já disse que não há filme Quaresma; o Presidente mandou-os beber água Vitalis ou Super-Bock; mas eles querem polémica, insistem, insistem... Não vão ter sorte. O homem até pode quebrar, mas não vai torcer.


quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

F.C.Porto, Shakhtar; Athletic Bilbao; BATE Borisov


Grupo H:
F.C.Porto; Shakhtar; Athletic Bilbao; BATE Borisov
Sorteio é sorteio, é com estes que temos de jogar, é contra estes que temos de conseguir o próximo objectivo nas competições europeias: chegar aos oitavos-de-final. Não vale a pena tecer grandes conjecturas, já vimos de tudo na Champions: sermos eliminados num grupo fácil e nem sequer ir para a segunda prova da UEFA; já tivemos grupos complicadíssimos e seguimos em frente.

De qualquer maneira e num primeiro olhar sobre os nossos adversários, temo-nos dado bem nos confrontos com os ucranianos, que não devem jogar em Donetsk.
O Athletic Bilbao foi o primeiro adversário do F.C.Porto nas provas europeias e fomos eliminados. Depois disso nunca mais os defrontamos oficialmente. São uma excelenete equipa, com uma alma e um espírito notável, no novo San Mamés, são terríveis.
Os bielorrussos do BATE Borisov, são uns ilustres desconhecidos, mas em sua casa não serão uma pera doce.
Como podem ver em baixo, o calendário podia ser pior. Se por um lado as duas viagens a leste são longas e desgastantes, mas teríamos sempre de as fazer, se os dois últimos jogos fora fossem em Kiev ou Donstsk e Borisov poderíamos ter de os fazer em climas já muito difíceis. Assim, como vamos à Ucrânia em Setembro, só o jogo na Bielorussia pode causar problemas nesse aspecto.

Fase de grupos:
FC Porto-Bate Borisov (17 de setembro)
Shakhtar Donetsk-FC Porto (30 de setembro)
FC Porto- At. Bilbao (21 de outubro)
At. Bilbao-FC Porto (5 de novembro)
BATE Borisov-FC Porto (25 de novembro)
FC Porto-Shakhtar Donetsk (10 de dezembro) 

Porque faz hoje 20 anos que nos deixou, recordo Rui Filipe, o craque simples!

- Eu Tarzan, tu Jane, diz-me minha linda, porque está encalhado o Rojo em Ingleterra? 
- Está encalhado porque tu és um Tarzan da treta. Então pensavas que depois da transferência de Mangala ter sido esmiuçada até aos infinitos, a ti bastava rasgar o contrato com a Doyen, para tudo se resolver?
- Jane, amore mio, non essere così, io sono il tuo Tarzan. Ahuuuuuuuuuuuuu!

Chelsea FC, FC Schalke 04, Sporting Clube de Portugal, NK Maribor

Anteontem era o Abel Hernández que ia ser desviado do F.C.Porto; ontem era o sonho Chicharito; hoje é Campbell. Quem será amanhã?

Curiosidades ditadas pelo sorteio:
Benfica, Zenit, Bayer Leverkusen e Mónaco.
Será que vai acontecer a Javi Garcia o que aconteceu a Mozer? Quando estava no Benfica, caceteiro? Nem pensar! Quando foi para o Marselha jogou contra o Benfica, "bandido", só sabe dar porrada...
E se agora o Mónaco e o Zenit, clubes cheios de pasta, viessem buscar dois ou três jogadores do Benfica? No caso dos russos, por conta do negócio do Garay?

quarta-feira, 27 de Agosto de 2014

Em cada palavra e em cada escrito, é notória a azia dos vendilhões do templo


A táctica é velha, mais conhecida que o tremoço.
Sorteio: saiu o Lille. F.C.Porto favoritíssimo! Objectivo: Porto passa, missão cumprida, apenas fez a sua obrigação. Porto não passa, escândalo, eliminados por uma equipa muito inferior.
Vêm os jogos, Porto melhor, superior, segue para a fase de grupos com 2 vitórias, 3 golos marcados e 0 sofridos. OK, mas a exibição, faltaram as notas artísticas, queriam Ópera. 
A estratégia do Porto manietou e condicionou claramente os franceses, impediu-os de jogar como gostam e da maneira que os fez, por exemplo, empatar em Paris frente ao PSG? Nada disso, Lille equipa fraca, limitada, terceiro classificado de um campeonato pró-fraco.
É um espanto, não não surpreende a azia que grassa por aí. Depois de terem decretado, de forma unilateral, o fim do ciclo e da hegemonia do F.C.Porto, apresentarem os Dragões à beira do precipício e prontos a dar o passo em frente, é vê-los agora à procura de todos os argumentos para lançar a confusão. A fase do treinador sem experiência em treinar clubes e por consequência, sem experiência de Champions, já passou. A problemática com a armada espanhola também já saiu de cena. O F.C.Porto a gastar o que tem e o que não tem, como disse o benfiquista de Paredes, também - como iriam explicar os 10 milhões de Samaras e mais não sei quantos milhões pelo Abel Hernández, depois de Vieira ter dito, sem se rir, que contratações acima de 4/5 milhões, estavam fora de causa? Agora temos o filme Quaresma que eles querem alimentar até à náusea - todas as peças nas televisões relativas ao jogo de ontem,  começaram com Quaresma. Também aqui não vão ter sorte. Espero que a corda não parta, mas se partir não vai ser pelo lado que eles esperam...
É, meus caros, eles sabiam que este play-off era muito importante para o F.C.Porto. Como o F.C.Porto passou à fase de grupos, está no seu habitat natural, na sua praia de eleição, a azia nota-se em cada palavra e em cada escrito. Então a táctica agora é elevar a fasquia, não tardará que o F.C.Porto seja considerado favorito na prova rainha da UEFA. Qual Real, Barça, Chelsea, Bayern ou afins? O principal candidato a levantar o caneco em Maio próximo, no Estádio Olímpico de Berlim, é o F.C.Porto. Nas provas internas, tolerância zero, aliás como se viu no fim-de-semana passado em que o F.C.Porto foi o que, apesar de tudo, ganhou com menos dificuldades, mas foi a que mereceu mais críticas. 3 jogos em 7 dias? Mas o que é isso? Tínhamos de ser demolidores nos dois jogos frente ao Lille e em Paços de Ferreira.

O que verdadeiramente os preocupa, o busílis da questão, é que eles sabem e muito bem que temos plantel, treinador(*) e estamos a construir uma equipa à altura dos pergaminhos e da exigência dos portistas. E por isso não gostam e nem sequer disfarçam.
Estamos prontos para a luta. Até podemos não ganhar, mas vamos de fazer tudo para ganhar. E assim, com a serenidade e tranquilidade necessária, sabendo que temos muitas dificuldades pela frente e o caminho é difícil, vamos estar aí, há condições para uma época à altura das responsabilidades do F.C.Porto no futebol português e não só. Sem euforias precoces, temos razões, primeiro, para estar contentes por atingirmos o importante objectivo de estar na Champions. Segundo, para haver confiança e optimismo.
(*) Gosto de treinador que para além de competentes, não fujam aos problemas, que assumam riscos. Treinadores sempre politicamente correctos, preocupados em agradar a gregos e a troianos, não fazem o meu género.

O impune, versão... já lhe perdi a conta...
É useiro e vezeiro em armar confusão. Ora é com jogadores, ora com os árbitros, até já armou confusão com a polícia. Castigos? Ou não apanha nada, como aconteceu esta semana, ou apanha castigos à la carte - lembram-se daquele castigo de 11 dias dado com conta, peso e medida, de maneira que estivesse na banco a orientar a equipa contra o F.C.Porto?
- É falta! Gritou Co Adriaanse num Naval-F.C.Porto
- Ai é falta? Então toma lá 15 dias de castigo e para a próxima vê se ficas caladinho.

Notas soltas:
Dasssilva, até no Judo o efeito Béla Guttmann se faz sentir. Telma Monteiro, atleta do Benfica, perdeu a final do Campeonato do Mundo de Judo para uma japonesa... Mas uma medalha de prata é sempre uma medalha de prata.

Não é de minha autoria, vi na página de facebook do meu amigo Armando Pinto e achei que devia publicitar.

terça-feira, 26 de Agosto de 2014

F.C.Porto 2 - Lille 0. Estamos na Champions!


Depois de 2 jogos em que fomos melhores e em ambos vencemos com toda a justiça, estamos na Champions, a prova rainha da UEFA. Estamos na nossa praia, onde, juntamente com Real Madrid, Barcelona e Manchester, somos o clube com mais presenças, 19. Era um objectivo importantíssimo, pelas verbas envolvidas - já garantimos perto de 11 milhões de euros - pela valorização de activos, fundamental num clube como o F.C.Porto, porque a qualidade desta equipa merece a Champions. Agora, com a missão cumprida, sem o peso de falhar sobre as costas, esta equipa de Lopetegui vai seguramente ficar com solta, mais confiante, mais tranquila, vais crescer mais natural e saudavelmente. Não nos podemos esquecer que esta é uma equipa muito jovem - ouvi na RR que acabamos o jogo com um onze de 22,7 anos de média de idades. 

Num Dragão mais uma vez quase cheio, 45.208 espectadores, o F.C.Porto fez cerca de 30 minutos iniciais muito bons. Entrando bem no jogo, nesse período o conjunto de Lopetegui foi uma equipa concentrada, equilibrada, pressionou bem e circulou bem, controlou e dominou totalmente a equipa francesa, faltou alguma contundência no ataque e mais acerto no último passe, merecia ter marcado um golo. Depois, coincidindo com uma perda de bola de Rúben Neves em zona proibida e que originou uma jogada com algum perigo do Lille, a equipa de azul e branco acusou o toque, perdeu confiança, intranquilizou-se - inacreditável, num jogo com  aimportância do de hoje, numa altura em que a equipa mais precisava o coro dos assobiadores tinha de mostrar serviço -, retraiu-se, passou a jogar mais para trás que para a frente, fez um final da primeira-parte muito sofrido. Embora a equipa de René Girard não tenha tido ocasiões de perigo, a questão que se colocava, era: se uma equipa que está em vantagem na eliminatória, estava assim nervosa, como ficaria se os franceses chegassem à vantagem? Não chegaram o intervalo chegou e nessa altura, o empate era justo.

Entramos bem na etapa complementar e logo aos 4 minutos, Brahimi, na cobrança de um livre directo marcou, um golo extraordinárioe e adiantou o F.C.Porto, quando não havia ainda decorrido tempo suficiente para uma tendência notória do que iam ser os segundos 45 minutos. A perder e já com a obrigação de ter de marcar dois golos e não sofrer mais nenhum, para não passar para a Liga Europa, os franceses reagiram, tiveram uma ligeira superioridade que o F.C.Porto aguentou sem correr grandes riscos. Vendo que era preciso fazer qualquer para que a sua equipa voltasse a ter mais bola e pudesse controlar o jogo, Lopetegui tirou um desgastado Rúben Neves, meteu Evandro e a equipa estabilizou. Não demorou a voltar a ficar por cima, passou novamente a ter a posse que tanto gosta, a estender-se mais e quando o ex-Estoril - nunca me enganaste Evandro, és craque! - recuperou e de primeira, quase sem olhar colocou no espaço de Brahimi, o argelino dominou, avançou, esperou, viu a desmarcação de Jackson, colocou-lhe a bola na frente, Cha Cha Cha fez o segundo e acabou com as dúvidas.

Notas finais:
A filosofia de Julen Lopetegui é simples: quando temos de bola temos procurar atacar bem. Quando não temos, temos de defender bem. No processo ofensivo a equipa ainda precisa de melhorar bem mais que no processo defensivo -  também porque nos dois jogos da Champions houve os cuidados necessários e menos ataque. Na organização defensiva estamos cumprir uma máxima do futebol: as grandes equipas começam a construir-se de trás para a frente e nós estamos a caminhar nesse sentido, já defendemos bem. Na parte ofensiva, agora com serenidade, quando há menos riscos, também vamos lá chegar. Mas fomos uma equipa unida, fomos uma equipa que mesmo quando as coisas correram menos bem, nunca perdeu a cabeça, nunca ficou desorientada.

Num encontro em que houve muita gente em grande plano, Brahimi pelo golo e pela assistência, foi o homem do jogo. Mas permitam-me que, sem esquecer Fabiano, Danilo, Maicon, Reyes, Alex Sandro, Herrera, Óliver, Casemiro, Rúben, Evandro, Jackson e até Ricardo, fale em Martins Indi. Tanto no centro da defesa, como no lado esquerdo, o português nascido no Barreiro, mas que é internacional holandês, esteve num plano elevadíssimo e já ninguém se lembra de Eliaquim Mangala.