Populares Mês

"Vamos trabalhar para um país melhor", diz a vaquinha do SLB. É preciso ter uma grande lata!


No pós Apito Dourado (AD) o Benfica, a começar no seu presidente e acabar no mais vulgar chega rebos, nunca se conformou com as decisões dos tribunais que ilibaram, após se esgotarem todos os recursos, o F.C.Porto e o seu líder. Mas apesar disso, o AD serviu e ainda serve de arma de arremesso sistemático pelo universo benfiquista, na BTV faziam-se programas diários onde o F.C.Porto e Jorge Nuno Pinto da Costa eram os bombos da festa, se apresentavam as escutas, de forma claramente descontextualizadas, numa flagrante violação da lei, mentia-se à descarada, usavam-se e repetiam-se argumentos que sabiam serem falsos - por exemplo, o F.C.Porto não foi condenado porque as escutas não foram validadas -, na esperança que uma mentira muitas vezes repetida se tornasse verdade.
O mesmo acontecia e ainda acontece no chiqueiro da queimada (*), onde, salvo raríssimas excepções, o Apito nunca deixou de apitar. Quem leva a bandeira nessa matéria é o director-adjunto, o nosso bem conhecido freteiro com calo no cu como o macaco, Delgado. Pois essa vaquinha sem pudor e vergonha na cara e que no tempo do AD andava a fazer campanha lá fora e junto do outrora amigo Michel Platini, contra o F.C.Porto e o seu líder; que junto com o jornal tudo fez para que o F.C.Porto ficasse fora da Champions League 2008/2009, participação brilhantemente conquistada com um título que só alguns anormais se atreveram a contestar; fazia capas destacando Platini a dizer que não se conformava com as decisões dos tribunais, sim foram os tribunais que colocaram os Dragões no lugar que era seu por direito próprio; enquanto e ao mesmo tempo, cá dentro, em editorial, disparava, Tremei capones, vem aí Eliot Ness e os seus Intocáveis; agora está incomodado porque no portismo, mas não só, mas não só!, as absurdas decisões do Tribunal da Relação de Lisboa, merecem críticas.
Como é que um tipo destes, do mais intelectualmente desonesto que há, se atreve a pregar a moral e os bons costumes, dizer, vamos trabalhar para um país melhor, quando o país dele só está bem quando tudo corre ao sabor dos interesses do Benfica? Alguém com um mínimo de inteligência, acredita que se em vez do Benfica, fosse o F.C.Porto o protagonista, esta vaquinha do SLB dizia a mesma coisa?
É a desfaçatez de um sem vergonha, um pseudo-jornalista que diariamente conspurca um jornal que sendo sempre pró-SLB, nunca foi este chiqueiro a céu aberto e de cheiro nauseabundo.

Numa semana em que o processo e-toupeira esteve na berlinda, o colunista Paulo Teixeira Pinto, no chiqueiro da queimada, sobre isso diz... nada! Deve ser porque está muito preocupado com o marketing do F.C.Porto, incomodado porque Mateus Uribe passou a ser Matheus Uribe - curioso, há sites em que o nome é Matheus, na Wikipédia até fica difícil saber se é Matheus ou Mateus -, Jesus Corona passou a ser Tecatito.
Surpreendido? Nada...

(*) - Ainda ontem e hoje, santos e bonzinhos, não deixaram de se mostrar de alguma forma surpreendidos com a decisão do Tribunal da Relação de Lisboa, mas, com o requinte de logo de seguida, acrescentarem, não tanto como as decisões do escandaloso AD. E para terminar, que o F.C.Porto se esgatanha por fazer esquecer - o que, pura e simplesmente, é impossível.

Fiz sobre o AD na altura própria e quando achei necessários, muitos e variados posts, não vou voltar a escalpelizar um assunto que está morto e enterrado, repito, com o F.C.Porto e o seu presidente, totalmente ilibados, após se esgotarem todos os recursos. Mas claro que os mesmos que agora pedem recato, fazem apelos patéticos como é o caso do freteiro Delgado, nunca deixarão de utilizar e de nos atirar com o AD para nos tentarem, não digo silenciar, mas acalmar. Não vão conseguir... até porque, como todos sabemos - e eles também -, muitas das práticas que constam no AD - erráticas, sem dúvida! -, eram comuns a vários clubes e não um exclusivo do F.C.Porto. Não foi por acaso que o AD não passou de Leiria...
Mas há uma linha que marca a diferença. No tempo do AD o F.C.Porto provava lá fora porque ganhava cá dentro. O SLB pode dizer a mesma coisa?

Outra vez a centralização dos direitos televisivos e o grande e inchado ego do aziado Coroado


A centralização dos direitos televisivos esteve em discussão na Soccerex e foi considerada fundamental para o equilíbrio do futebol português.
É extraordinário que este tema seja recorrente, mas ninguém tenha a coragem de afirmar, preto no branco, de quem foi a culpa desta medida considerada estrutural e fundamental, não ter sido colocada em prática quando fazia parte do programa com que Pedro Proença se candidatou e chegou à presidência da Liga e tinha o apoio da esmagadora parte dos clubes. A culpa foi do Benfica! E é espantoso que aqueles que não só não criticaram, como exultaram quando do acordo conseguido pelo SLB, com  NOS, acordo que significou a morte da centralização dos direitos televisivos, agora venham derramar lágrimas de crocodilo, como se alguém acreditasse que estão verdadeiramente preocupados com os interesses do futebol português. Não, alguns, como é o caso do freteiro com calo no cu como o macaco e vaquinha do SLB, José Manuel Delgado, não quer um futebol português mais equilibrado, justo e competitivo, apenas está preocupado com os interesses do Benfica. Como se a estratégia do SLB não assentasse em clubes com grandes dificuldades, logo subservientes e muito dependentes, a quem o clube do regime ora vai emprestando, ora vai comprando e recomprando, de forma que dependência desses clubes esteja sempre presente. O Vitória F.C. é o melhor exemplo daquilo que só não vê quem não quer. Como se isso fosse pouco, esse fenómeno do Entroncamento, essa originalidade vergonhosamente tuga, do SLB transmitir os jogos em casa no seu canal de televisão, é mais um escândalo que passa pelas pingos da chuva dos moralistas de pacotilha.
Só quem for muito crente e não perceber o que move alguns artistas da comunicação social portuguesa, é que acredita que estão interessados num futebol português melhor. Não. Desde que a vida corra bem ao clube do regime, tudo está bem neste cantinho à beira-mar plantado.
Obviamente, há outras entidades que também têm grandes responsabilidades, governo e FPF, por exemplo.

O comentador de arbitragem do jornal O Jogo, Jorge Coroado, tem um grande e inchado ego. Como tal, acha que as análises que faz são lei, não admitem discussões nem críticas. Viu-se isso no seu artigo de ontem no citado jornal - clicar na foto do lado. Para além da graçola de péssimo gosto com que mimoseia Francisco J. Marques, Coroado acha que a análise que fez sobre o lance entre Tapsoba e Marega no última F.C.Porto vs Vitória S.C. é correcta, até mereceu consenso entre os membros do painel. E depois com a arrogância de quem não admite ser contrariado, afirma que foi Marega, desequilibrado, que flectiu para a esquerda, perdeu apoio, caiu e coloca ponto final no assunto, com um, foi isto! Não e não, não foi nada disso. Deixando de lado a cor do cartão, que a falta foi evidente, foi, quer Coroado aziado e de ego inchado queira ou não.

PS - Quando alguém com telhados de vidro que não resistem a um pequenino caroço de azeitona, faz figura de estadista...


Após o fecho do mercado de transferências


O mercado fechou com o plantel e no que toca aos jogadores considerados fundamentais, a permanecer.  Atendendo às circunstâncias é algo que deve ser levado em conta. Já no que diz respeito aos jogadores a colocar, faltou colocar Waris, que esteve próximo do Alavês e do Nantes, mas vai continuar no F.C.Porto, não se sabe onde, embora tenha voltado a ser inscrito na Liga.
Assim, temos, guarda-redes:
Casillas, Marchesín, Diogo Costa e Mbaye;
Defesas:
Saravia, Tomás Esteves, Pepe, Marcano, Mbemba, Diogo Leite, Manafá e Alex Telles;
Médios:
Danilo, Loum, Sérgio Oliveira, Otávio, Uribe, Bruno Costa, Romário Baró;
Avançados:
Corona(*), Marega, Soares, Aboubakar, Zé Luís, Fábio Silva, Luis Díaz e Nakajima.
(*) Corona tem jogado a lateral-direito.
Todos os jogadores que fazem parte do plantel estão em condições de serem utilizados na Liga Europa, ao contrário do que tem acontecido nos últimos anos.

Não é o melhor plantel do mundo, mas é um plantel que pode discutir todos os títulos a nível interno, fazer uma Liga Europa à altura dos pergaminhos do F.C.Porto. Para isso é importante ter a atitude e o espírito correcto em todos os jogos e não apenas em alguns. Se no futebol o que importa em 1º lugar é vencer, não esquecer que quem joga bem está sempre mais próximo de conseguir os três pontos.
Tranquilidade, serenidade, juntos, um por todos, todos por um. Como já se constatou, este campeonato, ao contrário do que a comandita já perspectivava, não vai ser um passeio para o clube do regime. Portanto, é natural que a pressão aumente e propaganda não dê tréguas. Que não sejamos nós a dar o flanco, provocar instabilidade e turbulência.

Entretanto já foi o sorteio da 1ª Fase da Taça da Liga, o F.C.Porto está no Grupo D juntamente com Santa Clara, Chaves e Casa Pia.
Calendário:
1.ª jornada (25 ou 26/09)
FC Porto-Santa Clara
2.ª jornada (05/10)
Casa Pia-FC Porto
3.ª jornada (21 ou 22/12)
Desportivo de Chaves-FC Porto

Pergunta de inteligente:
Ricardo Rocha, "Deve um árbitro, em nome do espectáculo, evitar mostrar vermelho a um jogador que merece ser expulso, só porque o lance foi no 1º minuto de jogo?"

E sobre o lance da expulsão de Tapsoba, o que dizer do processo de intenções de António Papa-Hóstias Bagão Rato de Sacristia Félix? F.C.Porto passou a ser Xistra, a Xistra só lhe falta expulsar alguém no túnel e a cereja no topo do bolo, a Sport TV Norte é a Porto TV. Não sei como ainda fico surpreendido com este sonso cínico e hipócrita, cartilheiro até dizer basta.

Curioso, toda a malta fala dos dois auto-golos no S.C.Braga - Benfica e ninguém fala das assistências, primorosas para Seferovic que o avançado do SLB desperdiçou, antes do penálti que deu o 0-1.

F.C.Porto 3 - Vitória S.C. 0. Resultado que nem os portuenses justificaram nem os vimaranenses mereciam


Sérgio Conceição escalou de início a mesma equipa que começou o jogo da Luz - Marchesín, Corona, Pepe, Marcano e Alex Telles, Danilo e Uribe, Romário Baró, Marega, Zé Luís e Luis Díaz - e quando se esperava que depois da importante vitória na Luz, aparecesse um F.C.Porto galvanizado, capaz de dar sequência à boa exibição conseguida no clássico, não foi assim.
Apesar de estar com mais um desde o 1º minuto, expulsão de Tapsoba, o F.C.Porto nunca foi capaz de tirar partido dessa vantagem, criar dificuldades ao adversário, encostar o Vitória lá atrás, não o deixar jogar. Tudo muito lento, previsível, atabalhoado, na 1ª parte não houve intensidade, criatividade, a dinâmica nunca apareceu, valeu o golo de Marega, uma grande defesa de Marchesín e que evitou o empate, a substituição, por lesão, de Pepe, substituído por Mbemba e pouco mais há para dizer sobre os 45 minutos iniciais, melhor apenas realçar a desinspirada exibição do F.C.Porto.

Na 2ª parte, o F.C.Porto melhorou, mas não muito.
Algumas oportunidades, mas quase todas em lances de bola parada, continuou a faltar pressão, circular rápido, encontrar as melhores soluções para chegar ao 2º golo, não deixar que a equipa de Ivo Vieira que, recorde-se, teve um jogo de grande desgaste físico na última quinta-feira, se mantivesse dentro do jogo, acreditasse. Já com Otávio e Soares em campo, nos lugares de Zé Luís e Romário Baró, com o Vitória reduzido a 9 jogadores por expulsão de Davidson e de Miguel Silva ter feito duas excelentes defesas a evitar que o F.C.Porto aumentasse a contagem, Marcano fez o 2º golo - após análise de VAR e árbitro -, acabou com dúvidas sobre o vencedor. O jogo não terminaria sem Marega bisar e Marchesín fazer mais uma defesa do outro mundo e que impediu os de Guimarães de marcar o golo que justificaram.

Notas finais:
Num jogo muitas vezes parado, confuso e quezilento, vitória justa, mas por números excessivos, de um Dragão que depois do que aconteceu na Luz criou expectativas que hoje não confirmou.

Espero que as últimas horas do mercado não tragam nenhuma surpresa em relação a Moussa Marega. Para mim continua a ser o melhor e mais produtivo avançado do F.C.Porto.

PS - A expulsão de Tapsoda é exagerada, para mim era amarelo. Davidson, mesmo que tivesse razão e para mim as imagens não são claras que tivesse, pela forma como reagiu viu bem o vermelho. Ficou pelo menos um penálti por assinalar a favor do F.C.Porto.
Vamos aguardar as análises dos especialistas.

Não foi preciso esperar muito para voltar a velha cara do SLB de Luís Filipe Vieira


Que um qualquer adeptos comum do SLB use as redes-sociais para insultar, caluniar, insinuar ou até acusar os jogadores do F.C.Porto de estarem dopados, é grave, mas a alguns adeptos tudo é permitido - e os piores exemplos até vêm de quem tem mais responsabilidades -, vale o que vale, também temos disso no F.C.Porto. Mas quando um comentador residente na BTV, no caso José Manuel Antunes, vai por o mesmo caminho, mesmo que seja useiro e vezeiro nesse lamentável comportamento, aí a história é outra e merece que se diga qualquer coisa... embora não seja nada que já não tenha sido dito e repetido.
Assim, por mais que dos lados da Luz e dos seus propagandistas, freteiros, recadeiros e cartilheiros, venham apelos a um futebol com rivalidade, sim, mas mais sereno, tranquilo e menos conflituoso, sem aquilo que eles designam como clima de ódio, depois quando passamos para a prática de que José Manuel Antunes é apenas um entre vários exemplos, caem por terra todas as teorias do Benfica diferente e com capacidade de reconhecer o mérito dos adversários. Não e não! O Benfica de Vieira, por mais que nos tentem dizer o contrário, é e será sempre o Benfica de José Manuel Antunes, Pedro Guerra, André Ventura e afins.
Esta gente de carácter duvidoso, má índole e falta de vergonha na cara, não muda, nunca será capaz de reconhecer o mérito dos outros, ter um lampejo de fair-play. Como se pode esperar que alguns adeptos que bebem estes comentários trogloditas, alguns na televisão do próprio clube, depois sejam capazes de ter comportamentos diferentes? Se o homem do fato de treino, o líder não passa de um trauliteiro, populista e demagogo, sem nível e sem educação, dá o mote, como esperar algo diferente?

Notas finais:
Quando o Benfica no jogo da Supertaça, goleou o Sporting, tentou-se passar a ideia que tinha sido tudo muito bonito, um exemplo a seguir para futuro. Como já os conheço de gingeira, disse AQUI o que pensava. Não foi preciso esperar muito tempo para ver as minhas teorias confirmadas.

A propósito das agressões de que três adeptos do F.C.Porto foram vítimas no dia anterior e no dia do jogo entre Benfica e F.C.Porto, importa dizer o seguinte:
Digo sempre e é só pesquisar para confirmar, que nesta matéria não há anjos e demónios. Mas, I, no Porto Canal nunca se viu nada de semelhante, não há qualquer tipo de comparação com o que se faz na BTV. II, ao contrário do que acontece quando se trata de desvios portistas, a comunicação social está sempre muito atenta, muitas vezes, mesmo acontecimentos bem menos graves atingem uma dimensão muito maior, duram que até parecem ter pilhas duracell. No caso em apreço, alguns sempre de baterias apontadas a Norte, desta vez passou-lhes quase tudo ao lado.

Não faz isso L'Équipe... então não conhecem o emblema do mais maior, melhor, grande clube do planeta? E pior, trocam-no por o emblema de um clube regional, um ilustre desconhecido?


Liga Europa, Grupo G: F.C.Porto, Youg Boys (Suiça), Feyenoord (Holanda) e Rangers (Escócia). Nenhum é daqueles que normalmente designamos por pera doce, mas estão ao alcance do FCP e melhor, não obrigam a grandes deslocações. Não esquecer que Rangers e Feyenoord já foram ultrapassados pelo F.C.Porto, um na antiga Taça das Taças e que terminou com o FCP na final de Basileia frente à Juventus, os holandeses eliminados numa pré-eliminatória da Champions League, com o pormaior do treinador da altura, Tomislav Ivic ter jogado em Roterdão com, se não estou em erro, cinco centrais.

O F.C.Porto venceu na Luz porque foi superior em todos os itens do jogo. Ponto!


"Não me peçam só para anular o adversário e sair em transições."
Esta frase de Bruno Lage, junto a algumas análises como a do pastel de Belém, leia-se Vítor Serpa, com o director entre aspas do chiqueiro da queimada, depois de dizer que "o F.C.Porto fez um grande, grande jogo, esteve intratável e que começou a ganhar o jogo na raça, na determinação, mais que na vontade, na convicção de ganhar", diz que "o F.C.Porto transportou o jogo para o seu território, o do confronto físico, onde é mais forte e mais competente", levam-me a dizer o seguinte:
Concedo que um F.C.Porto tão forte, tão coeso, tão competente e tão personalizado, surpreendeu, esteve acima das expectativas para esta altura da época - recorde-se que o F.C.Porto teve uma derrota totalmente inesperada em Barcelos frente ao Gil Vicente e, principalmente, ficou fora da Fase de Grupos da Champions League com tudo o que isso significa e já foi suficientemente dissecado. Recorde-se que na equipa que derrotou o Benfica cinco jogadores, Marchesín, Romário Baró, Uribe, Luis Díaz e Zé Luís nunca tinham jogado um clássico, em relação à última equipa portista que tinha defrontado o SLB, na Luz, só três jogadores, Alex Telles, Danilo e Marega tinham entrado de início. Mas não concedo que se diga ou insinue que o F.C.Porto que derrotou categoricamente o Benfica por 2-0, resultado escasso para tanta superioridade, foi uma equipa que levou o seu jogo para um futebol de contactos permanentes, um futebol aéreo onde é mais dotado e mais forte, muito menos concedo que o F.C.Porto fosse uma equipa de chutão para a frente na procura da profundidade de Moussa Marega ou apenas interessado em anular o adversário.

Não, não e não! O F.C.Porto venceu porque foi melhor em todos os itens, tecnicamente, tacticamente, colectivamente, individualmente - o único jogador do Benfica que esteve ao nível dos jogadores do F.C.Porto foi o guarda-redes Odysseias Vlachodimos e isso é sintomático - na qualidade de jogo, na forma como o seu treinador preparou o clássico e agiu durante o jogo. Ponto!
Ah e 3.000 Dragões que estiveram na Luz também ganharam e esses talvez por uma diferença bem superior... Sim, porque 3000 versus 60.000...

Duas notas finais:
Pelas declarações de Bruno Lage fica a ideia que ele e os adeptos do Benficas iam ficar muito zangados se o seu clube ganhasse no Dragão como o F.C.Porto venceu na Luz. Para além de ser, como ficou óbvio, uma clara mentira, é rídiculo.

Dito isto, colocados alguns pontos nos is, é preciso continuar no caminho correcto, vencer na Luz é muito bom, sabe sempre muito bem, mas se não houver continuidade frente ao Vitória S.C., lá vai esse efeito por água abaixo.

- Marchesín arroja-se ao solo e evita uma clara situação de perigo para a baliza do F.C.Porto. Enorme Marche!
- Mas ó Vila Pouca, estás bem? Essa foto é do aquecimento...

S.L.Benfica 0 - F.C.Porto 2. E o papão foi papado...


Numa Luz cheia e sob um calor abrasador, o super-badalado Benfica de Bruno Lage, o mais elogiado treinador dos últimos anos, defrontou um F.C.Porto que não começou bem a temporada e que em relação à equipa que esteve na casa do SLB na época passada, apenas teve de início Alex Telles, Danilo e Marega.
Não estarei a exagerar se disser que estava criado um cenário que dava um grande favoritismo ao clube do regime, aos Dragões nada mais restava que serem meros figurantes da festa encarnada. A não ser que... como disse no post anterior, esse super-Benfica não fosse real, estivesse claramente extrapolado pela propaganda. E de facto, hoje na Luz, a propaganda foi ridicularizada pela realidade. Não tinham sofrido golos, sofreram dois; a equipa goleadora ficou em branco, o recorde de quatro jogos iniciais com quatro vitórias e sem sofrer golos, foi para o brejo; super-Lage levou uma lição de Sérgio Conceição; e podia continuar, mas não vale a pena, apenas digo que se Florentino é o novo 120 milhões, quanto valerá Romário Baró?
É, meus amigos, hoje o papão foi papado e pode dar-se por feliz por só ter perdido por dois...

1ª parte de clara superioridade portista, com a equipa de Sérgio Conceição, consistente, organizada e com a lição bem estudada, a ir para o intervalo a vencer pela vantagem mínima. golo de Zé Luís aos 22 minutos. Mas com mais critério a definir e melhores opções no último terço do campo, com outra contundência e assertividade na hora de finalizar, o F.C.Porto podia e merecia ter conseguido uma vantagem mais alargada, quer pelo que fez quer pelo que não deixou o Benfica fazer.

Na 2ª parte o Benfica fez entrar Tarabt para o lugar de Samaris, o F.C.Porto manteve o onze com que terminou os 45 minutos iniciais - ao minuto 73 saíram Ronário Baró e Zé Luís e entraram Otávio e Soares, ao minuto 81 foi a vez de Manafá substituir Luis Díaz. E que dizer da etapa complementar? Nada, a não ser que foi muito semelhante à 1ª. F.C.Porto sempre superior, com possibilidades de chegar mais cedo ao 2º golo, mas voltou a cometer os mesmos pecados da 1ª parte, só conseguiu aumentar a vantagem ao minuto 86, marcou Moussa Marega - que por pudor, não mostrou a barriga...

Resumindo:
Um F.C.Porto competente e colectivamente forte, foi muito melhor em todos os itens - desde o banco até ao relvado, passando pelas bancadas -, que o Benfica, ganhou de uma forma tão clara que nem os mais fundamentalistas se atreverão a contestar.
Sem excessos, nem euforias prematuras, continuemos a caminhar. Temos gente para conseguir lutar pelos objectivos internos e tentar na Europa uma performance que prestigie o F.C.Porto.


Se os clássicos entre SLB e FCP se decidissem na comunicação social não ganhávamos um...


Super-Rafa, deixem jogar o Rafa; super-Pizzi; Florentino o novo senhor 120 milhões; Jota já não foge; Rúben Dias e Ferro que muros de 88 kilos; Grimaldo inventou o lateral moderno; Odysseas, mais vale um guarda-redes direitinho e saudável que um gato das balizas com problemas físicos; quem é o André Almeida se temos Nuno Tavares? Como possível um craque como Samaris ser ostracizado por Rui Vitória? E que dizer de Seferovic? Goleador do campeonato passado e está tudo dito; como está tudo dito sobre RDT, nunca 20 milhões foram tão bem empregues. Aqueles tipos do Real Madrid são mesmo uns totós.
Resumindo, tanto talento, tanta qualidade ao dispor de um treinador genial. É frente a este Benfica que esgota adjectivos, goleador e sem sofrer golos, endeusado até aos infinitos e à procura de bater recordes que o F.C.Porto vai jogar na 3ª jornada.
Toda esta badalação vai estar à prova no próximo sábado e por volta das 21 horas ficaremos a saber se tudo o que tem  sido propagandeado é real ou virtual. Que na Luz esteja um Dragão de coragem, competente e à altura dos seus pergaminhos. É no rectângulo verde que tudo se decide. Se os resultados dos clássicos entre SLB e FCP fossem decididos nos jornais, rádios e televisões, ao sabor dos interesses de freteiros, recadeiros, cartilheiros, não ganhávamos nenhum... e como bem sabemos não é o que tem acontecido na nova Luz...

Bilhetes esgotados em 3 horas, grande apoio que se espera na saída para Lisboa, o mesmo apoio que tenho a certeza se fará sentir nas bancadas da Luz. Que treinador e jogadores façam também a sua parte...

A vaquinha do SLB, leia-se José Manuel Delgado, não concorda que nas duas primeiras jornadas não se passou nada de grave em termos de arbitragem. Nos seus sempre sérios ases e duques - consegui dizer isto sem me rir -, como se pode ver na imagem em anexo, a vaquinha do SLB já está a tomar as dores do seu clube, a pressionar e condicionar os árbitros e VAR, já está a pedir explicações ao presidente do Conselho de Arbitragem. Exactamente como fez na época passada... mas apenas quando o F.C.Porto liderava! Sim, porque porque mal o Benfica passou para a frente, aí, a vaquinha do SLB, a toupeira/freteiro com calo no cu como o macaco, Delgado, mesmo com os escândalos a sucederem-se - os jogos de Santa Maria da Feira, Braga e Vila do Conde são bons exemplos -, a vaquinha não viu razões para pedir explicações, não tugiu nem mugiu.


F.C.Porto 4 - Vitória F.C. 0. O Dragão caiu, mas já começou a levantar-se...



Costumo dizer, coitados daqueles que caindo ficam prostrados, não são capazes de se levantar. O F.C.Porto caiu e caiu com estrondo em Barcelos e frente aos russos do Krasnodar, mas já começou a levantar-se. Segue-se o Benfica na Luz. Como temos ouvido e lido, eles estão fortíssimos, intratáveis, goleadores, os adjectivos esgotam-se em elogios ao clube do regime. Sendo assim, vai ser um bom jogo para se perceber o que é realidade e o que é a ficção da propaganda, vai ser um bom teste e o jogo ideal para que o Dragão mostre a sua raça e a sua chama, deixe claro que as notícias sobre a sua morte eram manifestamente exageradas.

Entrada muito forte do F.C.Porto, pressão, dinâmica, boa circulação, aos 2 minutos milagre de Makaridze, aos 8 incrível como Marcano falha o golo, aos 12 excelente pontapé de Zé Luís de fora da área colocou os Dragões em vantagem. Não se acomodaram os pupilos de Sérgio Conceição e apesar de uma má abordagem de Danilo ia decorrido o minuto 17 quase ter dado o empate - valeu Super-Marchesín -, a intensidade e o ritmo alto continuou, aos 20, voando para a bola, Zé Luís aumentou a contagem, resultado com que se chegou ao fim dos primeiros 45 minutos. Esse belo golo colocou justiça no marcador, foi o corolário de uma superioridade clara do F.C.Porto a que se juntou uma exibição bem conseguida.

Depois de um jogo na terça-feira que deixou marcas e a vencer por dois golos de vantagem, que Porto na 2ª parte?
Não entraram tão pressionantes nem tão exuberantes os Dragões, mas estiveram sempre por cima e assim, num espaço de um minuto aos 63 e 64, hat-trick de Zé Luís e golo de Luis Díaz, vitória garantida.
Era hora de mexer, entraram Nakajima para o lugar de Romário Baró, mais tarde saíram Marega e Zé Luís, entraram Soares e Fábio Silva, o F.C.Porto naturalmente perdeu algum fulgor, esteve perto de sofrer - mais uma dupla e extraordinária intervenção de Super-Marchesín -, mas tirando esse lance nunca o Vitória esteve perto de marcar. Já os azuis e brancos, mesmo sem conseguirem o mesmo brilhantismo de alguns momentos, em particular na 1ª parte, também criaram perigo, tiveram oportunidades, podiam ter dilatado a contagem.

Tudo somado, vitória clara, indiscutível do F.C.Porto, com uma exibição bem conseguida, prometedora, principalmente se atendermos ao que aconteceu nos jogos anteriores, jogos que deixaram marcas.

Uma nota sobre Uribe: sempre bem posicionado e a jogar simples, o colombiano não come a bola, mas mostrou qualidades que lhe auguram um futuro promissor de Dragão ao peito.

Outra sobre Zé Luís: quem marca três golos quase nem precisa que se diga mais nada, mas o cabo-verdiano não se ficou apenas pelos golos que marcou, fez um jogo completo.

Dass, Vítor, o que é demais é moléstia!

- Copyright © Dragão até à morte. F.C.Porto, o melhor clube português- Edited by andreset